Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

GUERRAS E COPAS

GUERRAS E COPAS
(Autor: Antonio Brás Constante)
 
Entre as finais de uma copa possíveis de acontecer, poderíamos assistir ao jogo de Alemanha X Inglaterra. Seria uma verdadeira briga (dentro e fora dos estádios). Os dois times se matando em campo, enquanto seus torcedores torceriam entre outras coisas o pescoço dos torcedores adversários. A partida provavelmente terminaria empatada, em botinada, em cadeiradas, com direito a chutes e pontapés de ambas as torcidas.

Um outro final complicadíssimo (e perigosíssimo), caso acontecesse em alguma outra copa, seria Estados Unidos X Iraque. Os bandeirinhas teriam de utilizar bandeirinhas brancas, clamando pela paz no jogo. O campo seria um campo minado, e a grama seria trocada por pedras e areia, preparando o estádio como se fosse um deserto, para melhor ambientar os adversários.

O juiz seria trocado por um sacerdote, que no lugar de cartões distribuiria a extrema-unção para os penalizados. Aliás, os cartões seriam substituídos por cartas-bombas.

Neste jogo os americanos seriam marcados...Para morrer, e teriam de correr o tempo inteiro, pois no corpo-a-corpo os iraquianos aproveitariam para dar-lhes um abraço apertado, apertando junto o botão do detonador que explodiria os explosivos presos em seus corpos.

Para piorar a partida, os jogadores do EUA, mesmo com toda sua tecnologia e treinamento em campo, não conseguiriam encontrar o seu alvo (a goleira do adversário), chutando bombas contra caravanas de crianças, grupos de freiras, mulheres e velhinhos indefesos, muitas vezes acertando o departamento de enfermagem do estádio por ser parecido com um hospital. Os carrinhos em campo dariam lugar aos helicópteros e tanques.

As faltas seriam batidas diretamente nos jogadores do outro time, que apanhariam até serem abatidos ou confessarem onde está escondido o seu líder. Seria um jogo com vários lances de efeito (moral), e arremessos laterais de granadas, mísseis e morteiros.

Felizmente esses dois times jogam tão mal que dificilmente veremos este tipo de confronto em uma copa do mundo. Porém, no jogo do mundo real e mortal disputado entre esses loucos e fanáticos, nós que somos a platéia, podemos apenas rezar e torcer para que um dia esta partida acabe, e possa enfim ser erguido o troféu da paz.

(SITES: www.abrasc.pop.com.br e www.recantodasletras.com.br/autores/abrasc)

ATENÇÃO: Divulgue este texto para seus amigos. (Caso não tenha gostado do texto, divulgue-o então para seus inimigos).
Antonio Brás Constante
Enviado por Antonio Brás Constante em 03/07/2006
Código do texto: T186606
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antonio Brás Constante
Canoas - Rio Grande do Sul - Brasil, 100 anos
399 textos (85245 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:20)
Antonio Brás Constante