Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MÁXIMAS DE HUMOR - IV

A meia verdade é uma mentira com preguiça de ser completa.

A mentira tem pernas curtas, mas anda bem mais depressa do que a verdade.

Voto que perde eleição não é sufrágio, é naufrágio.

A pobreza não envergonha ninguém. Mas atrapalha um bocado na hora das compras.

Quando o médico me disse que eu precisava de ferro, olhei logo para trás para ver se tinha alguém querendo aviar a receita.

A cobra de duas cabeças faz cocô por onde?

O cientista estava tentando fazer um conta-gotas, aí entrou areia. Estava inventada a ampulheta.

Vaca feminista é aquela que manda o boi pro brejo.

Como dizia o político: - Tá vendo esse rio? Pois é, vamos privatizar todos os peixe-elétricos.

Diz-se que o homem é um animal político. Alguns são mais animais que políticos. Outros, quanto mais políticos, mais animais.

Artigos em alta:  desemprego, safadeza e corrupção.

Fim de estoque: honestidade, lisura e transparência.

(José de Castro, in “Quem brinca em serviço – textos de humor”, Natal: RN, Edições Sebo Vermelho, 2003).

José de Castro
Enviado por José de Castro em 25/07/2006
Código do texto: T201446

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José de Castro
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil
2254 textos (673189 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 02:49)
José de Castro