Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÃO BEBO MAIS

O “pau d’água” do meu vizinho nos Cafundós, quando não está de porre, encontra-se de ressaca. Por viver entornado no álcool o dia todo e todos os dias, a mundiça lá da rua lhe chama ”Cobra de Farmácia”. Ele não dá ouvidos as mangofas da molecada e sai cantando:

Cachaça cachacinha,
Eu sou de tu e tu és minha,
Não há bebida melhor.
Bebendo tu bem misturadinha,
Eu bebo, bebo até me acabar.
Muita e muita cachacinha,
Ainda hei de tomar.

Dizem que a cachaça é uma desgraça,
Uma desgraça pra quem gosta de beber.
Bebo por que quero,
É de muito gosto.
Bebo e não é da conta de ninguém.

Entre a sobriedade e a embriaguez, o “bebe leite” entra na primeira bodega, compra uma meiota da branquinha, toma um gole no bocal da embalagem e sai cantando:

Eu não bebo mais,
mas, também não bebo menos...
Chiquimribeiro
Enviado por Chiquimribeiro em 17/09/2006
Reeditado em 15/03/2015
Código do texto: T242447
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chiquimribeiro
Fortaleza - Ceará - Brasil
507 textos (70762 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 22:07)
Chiquimribeiro