Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LAURINDO E A SOGRA

     Laurindo, meu genro, mais do que genro, meu filho, pois nos sentimos assim como filho e mãe e não genro e sogra, sempre tem umas piadas de sogra, que me fala  só para ver eu rindo sem parar. Para eu "morrer" de rir.

     Como fazemos todos os dias ao chegar do trabalho, já se tornou rotina. Eles, o Laurindo e a esposa, minha filha Silmara Lúcia, vão me buscar no ponto de ônibus, que na minha cidade chamamos de parada. Vão me buscar na parada e quando chegamos em casa vamos direto para a cozinha preparar o jantar.

     Laurindo sempre com suas piadinhas. Um dia comentando com eles dizendo que quando a Silmara Lúcia e ele se formarem eu nem vou mais trabalhar aí ele disse: "É tia, aí eu vou cortar suas pernas e seus braços, aí a senhora não trabalha mais."

     Ontem eu não estava bem de saúde, aliás já há alguns dias. Comentei:"Ah! Hoje não passei bem, o dia todo." Ele disse: "Tia, vou dar um conselho para a senhora: Compra um ferro Bleck and Decker que a senhora vai passar bem."

     Isso me faz esquecer de todas as ruindades e começo a rir. É muito bom.

     Recomendo a todas as sogras: Laurindo faz bem à saúde das sogras.
Maria Lúcia Flores do Espírito Santo Meireles
Enviado por Maria Lúcia Flores do Espírito Santo Meireles em 26/09/2006
Código do texto: T249631
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Lúcia Flores do Espírito Santo Meireles
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 58 anos
152 textos (4027 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 02:23)