Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AS TREZ TORTURAS CHINESA

CAUSO DAS TRÊS TORTURAS CHINESAS


QUANDO EU ERA CRIANÇA, COSTUMAVA PASSAR FÉRIAS NA FAZENDA DO MEU AVÔ MATERNO, JUCA JAMBI ‘’JOSE HONORIO MEDEIROS’’. LEMBRO-ME QUE, NA ÉPOCA, ESTAVA INICIANDO A CONSTRUÇÃO DA RODOVIA DO OESTE, HOJE RODOVIA CASTELO BRANCO. ERA TRATOR PRA TODO LADO. A CASA SEDE FICARIA HOJE EXATAMENTE NO KM 69.5, BEM NO ALTO DE UM GRANDE MORRO QUE FOI CORTADO AO MEIO. ÉRAMOS UM BANDO DE MOLEQUES: EU, MEUS PRIMOS E TIOS. LEMBRO-ME COMO SE FOSSE HOJE. QUANDO ANOITECIA NOS JUNTÁVAMOS AO REDOR DA CASA GRANDE E FICÁVAMOS HORAS CAÇANDO VAGALUMES E COLOCANDO-OS DENTRO DE UMA GARRAFA, A QUAL USÁVAMOS DEPOIS COMO LAMPIÃO EM NOSSO QUARTO, POIS NA ÉPOCA, QUANDO ANOITECIA, ERA TUDO UM VERDADEIRO BREU.
DEITÁVAMOS TODOS JUNTOS. OS COLCHÕES ERAM TANTOS QUE ERA IMPOSSÍVEL NOS LOCOMOVERMOS DE UM LADO PARA O OUTRO SEM PISARMOS EM ALGUÉM. A GENTE SÓ SOSSEGAVA QUANDO MEU TIO ZÉ MEDEIROS VINHA PRO QUARTO E COMEÇAVA A CONTAR SUAS ESTÓRIAS, QUE ERAM SEMPRE ESCABROSAS.
DE TODAS QUE ME LEMBRO, UMA FICOU NA MINHA MEMÓRIA, A ESTÓRIA DO BETÃO FORQUILHA, SUJEITO DE MEIA IDADE, ALTO, FORTE E QUE TRABALHAVA COMO RETIREIRO NA FAZENDA HÁ MUITOS ANOS. DESDE GAROTO, BETÃO FURQUILHA TINHA ESSE NOME, POR TER AS PERNAS ENVERGADAS COMO UMA FORQUILHA DE ESTILINGUE, COMO SE ESTIVESSE MONTADO NUM CAVALO, MAS SEM O CAVALO POR DEBAIXO DELE.
MEU TIO COMEÇOU A ESTÓRIA, DIZENTO QUE HÁ MUITO TEMPO, QUANDO BETÃO TINHA UNS 18 ANOS DE IDADE, SAIU PRA UMA CAVALGADA PRAS BANDAS DO MORRO DO SABOO. ERA UMA NOITE MUITO ESCURA E AMEAÇAVA UM TEMPORAL DAQUELES. NAQUELAS BANDAS, BEM PRÓXIMO DE ONDE ELE ESTAVA CAVALGANDO, MORAVA UM CHINÊS QUE TINHA FAMA DE SER MUITO MAL.
SEM OUTRA ALTERNATIVA, E O TEMPORAL JÁ COMEÇANDO, BETÃO TOCOU SEU CAVALO RUMO À CASA DO CHINA. ASSIM QUE ELE CHEGOU AO DESTINO E FOI BATER NA PORTA, ELA JÁ FOI ABERTA POR UMA LINDA MOÇA, VESTIDA NUM QUIMONO DE SEDA. ELA IMEDIATAMENTE PEDIU PARA BETÃO ENTRAR. DEU-LHE ROUPA SECA E, NO JANTAR, APRESENTOU SEU AVÔ, CHUAN CHEN. HOMEM SÉRIO, DE POUCAS PALAVRAS, MUITO OBSERVADOR E, DEVIDO A SUAS TRADIÇÕES ORIENTAIS, ERA TAMBÉM UMA PESSOA MUITO CONSERVADORA.
TERMINARAM O JANTAR, MAS A CHUVA E OS TROVÕES NÃO PARAVAM POR NENHUM SEGUNDO. BETÃO NÃO ESTAVA SE IMPORTANDO NEM POUCO COM O QUE ACONTECIA LÁ FORA, POIS SEUS OLHOS NÃO DESGRUDAVAM DA LINDA MENINA CHINESA. FOI AÍ QUE, COM SEGUNDAS INTENÇÕES, BETÃO TEVE A IDÉIA MAIS INFELIZ DE SUA VIDA, A DE PEDIR PERMISSÃO PARA CHUAN CHEN DE DORMIR ALI AQUELA NOITE DEVIDO AO MAU TEMPO QUE FAZIA.
CHUAN CHEN PERMITIU, MAS DISSE:

- SE MOÇO BOLE COM NETA MINHA, VAI SOFRER TRÊS TORTURAS CHINESAS.

ESSAS FORAM AS ÚNICAS PALAVRAS DAQUELE CHINES O TEMPO TODO. LÁ PELAS TANTAS, O VELHO FOI SE DEITAR, DEIXANDO SOZINHOS SUA NETA E O HÓSPEDE BETÃO NA SALA DA CASA. BASTOU UMA BOA CONVERSA E BETÃO CONVENCEU A CHINESINHA A SE DEITAR COM ELE PARA TEREM UMA NOITE DE PRAZERES. NO QUARTO, DURANTE AS PRELIMINARES ELA DISSE:

- BETÃO NÃO TEM MEDO DAS TRÊS TORTURAS CHINESAS.

E BETAO COM UM GRANDE SORRISO RESPONDEU:

- VOCÊ VALE MAIS DO QUE QUALQUER TORTURA.

FOI SEXO E AMOR A NOITE INTEIRA.

PELA MANHÃ BEM CEDINHO, BETÃO ACORDOU COM UM PESO NO PEITO, ABRIU OS OLHOS E AVISTOU UMA IMENSA PEDRA EM CIMA DELE, NA QUAL ESTAVA ESCRITA A SEGUINTE FRASE:

- PRIMEIRA TORTURA CHINESA: PEDRA NO PEITO.
BETÃO, COM MUITO ESFORÇO, CONSEGUIU TIRAR A PEDRA DE CIMA DELE E A EMPURROU PELA JANELA DO QUARTO. ASSIM QUE A PEDRA VIROU E COMEÇOU A CAIR, ELE VIU OUTRA FRASE ESCRITA.

- SEGUNDA TORTURA CHINESA: CORDA AMARRADA NA PEDRA E NO TESTÍCULO DIREIRO.

AHHHH, MAIS QUE DEPRESSA BETÃO SE JOGOU PELA JANELA JUNTO COM A PEDRA. DAÍ, ENQUANTO OS DOIS CAIAM, VIU OUTRA FRASE...

- TERCEIRA TORTURA CHINESA: CORDA AMARRADA NO PÉ DA CAMA E NO TESTÍCULO ESQUERDO.

É POR ISSO QUE BETÃO VIROU BETÃO FORQUILHA.

O MAIS INTERESSANTE NESTA ESTÓRIA É QUE, DEPOIS DE UMA PEQUENA PAUSA, TIO ZÉ DISSE:

- VAMOS LÁ PESSOAL, PODEM SEPARAR OS JOELHOS. É APENAS UMA ESTÓRIA.

OBS: HÁ POUCOS ANOS, ESTIVE NA REGIÃO DO SABOO, PROCURANDO O TAL CHINA E SUA NETA, NÃO ENCONTREI NINGUEM. A ÚNICA COISA QUE ACHEI POR ALI FOI UMA CASA QUASE QUE TOTALMENTE DESTRUÍDA PELO TEMPO E EMBAIXO DE UMA DE SUAS JANELAS UMA IMENSA PEDRA FINCADA NO CHÃO.

ZÉ PAULO MEDEIROS  CAUSOS&EFEITOS











ze paulo medeiros
Enviado por ze paulo medeiros em 25/08/2005
Código do texto: T45034
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ze paulo medeiros
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 61 anos
75 textos (9323 leituras)
1 e-livros (122 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:31)
ze paulo medeiros