Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Recebi por e-mail
e estou repassando:



Meia idade  
Caixa de entrada
   
   
de Eduardo Beckhauser @terra.com.br>     ocultar detalhes  23 ago 
  para Eduardo Beckhauser @terra.com.br>  
  data   23/08/2007 11:53  
  assunto   Meia idade  
  enviado por   terra.com.br  

 

Você sabe que está chegando
à meia-idade quando
tudo dói e
o que não dói,
não funciona.


A gente chega à meia-idade
quando fazer amor nos transforma
num animal selvagem:

uma preguiça.

Meia-idade é quando sua idade
começa a aparecer na cintura.


Na meia-idade você ainda
sente vontade, mas não lembra exatamente do quê.


Meia-idade é quando você
sente vontade de se exercitar
e deita pra esperar passar.


Meia-idade é quando seu
médico lhe recomenda
exercício ao ar-livre e você
pega o carro e sai guiando
com a janela aberta.


Na meia-idade, jantares à luz de
velas não são mais românticos,
porque não se consegue
ler o cardápio.


Meia-idade é quando um cara
começa a apagar as luzes por
economia e não para criar um
clima com você.


Meia-idade é quando em vez
de pentear os cabelos você
começa a "arrumar"
os que sobram.


Infância: época da vida em
que fazemos caretas
para o espelho.

Meia-idade: a época da vida
em que o espelho se vinga.


Há três períodos na vida:
infância, juventude e
"você está com uma aparência esplêndida".


Está na meia-idade? Ânimo! O pior ainda está por vir!

Você sabe que está na meia-idade quando tudo aquilo que a Mãe Natureza te deu o Pai Tempo começa a levar embora.

Meia-idade é quando paramos de criticar a geração mais velha e começamos a criticar a mais nova.

Meia-idade é quando sabemos todas as respostas e ninguém nos pergunta nada.

Meia-idade é quando se alguém dá em cima de você no cinema é porque está atrás da pipoca.

Meia-idade: primeiro começa a esquecer os nomes, depois os rostos, depois de fechar o zíper.

Meia idade, enfim, é quando já não temos mais idade para dar maus exemplos e passamos a dar bons conselhos...


"Não há cura para o nascer e o morrer, a não ser saborear o intervalo."

 

-

====
@terra.com.br>@terra.com.br>
Beckhauser
Enviado por Beckhauser em 31/08/2007
Reeditado em 02/11/2011
Código do texto: T631793

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (www.laerciobeckhauser.com).
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Beckhauser
Joinville - Santa Catarina - Brasil
1057 textos (955007 leituras)
1 e-livros (1411 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 17:47)
Beckhauser

Site do Escritor