Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CACHORRO E O CARTEIRO

Nem Freud explica a rixa do cachorro pelo o carteiro. Se o estafeta descuidar é abocanhado pelo cão, tendo o seu uniforme destruído e parte do corpo devorado pelas presas da fera. Grilo, amigão das antigas, carteiro matraqueado e precavido tomou as vacinas contra a calazar e raiva canina. Imunizado contra as doenças causadas pelo protozoário Leishmania donovani não vacila durante sua percorrida. Ele fazia a distribuição num bairro da periferia dos Cafundós, quanto percebeu o ataque de um cão da raça pit bull. O animal partiu pra cima dele com dois palmos de boca aberta mostrando as presas afiadas e as unhas de cinco centímetros de comprimento. O carteiro, católico desde criancinha, sacou do bolso um rosário, fechou-o na mão esquerda e gritou: Valei-me São Lázaro! Meu irmão, não deu outra. O padroeiro dos cachorros intercedeu em defesa do suplicante. A fera deu um freio que as patas entram de chão adentro e as pernas encolheram, deu uma travada no corpo à coluna estalou partindo-a em duas partes, a cauda deu um nó. O cachorro fechou a boca mordeu a língua partindo em três pedaços, encolheu as orelhas e caiu de fiofó trancado.

Chiquimribeiro
Enviado por Chiquimribeiro em 01/10/2007
Reeditado em 17/03/2015
Código do texto: T675989
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chiquimribeiro
Fortaleza - Ceará - Brasil
543 textos (77737 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 02:42)
Chiquimribeiro