Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pescarias & Estórias - Curva do “U” - Rosskopf &Co.Patent

Pescarias & Estórias - Curva do “U”
Rosskopf &Co.Patent

Era uma daquelas tardes gostosas, sossegadas, no meu bom e velho Descalvado –já era velho- eu, novinho em folha..., olhando o por do sol, podendo já olhar para a grande roda vermelha fumegante, com desafio, infantil...E, o sol, irmão sol, se punha no ocaso, tranqüilo -desdenhando meu atrevimento- como minha boa terrinha. Arrumei minhas traias de pesca, já acostumadas, simplezinhas mas altivas qual caipira seguro donde arrancar mistura! De botinas testa de touro, couro  quase cru, calças grossas, brim, este sim, cru, lá fui eu, repeteco, repeteco, tranqüilo, morro a baixo, rumo ao meu costumeiro barranco, minha quase particular sevada! Ninguém ocupava minha cavinha, bem, quase ninguém...he, he, he...!
Eia, só porque falei!!! Já tinha um xereta no meu canto!!!
Bem, seja lá, vou dar chance a este matuto e deixar que ele leve minhas pescas –pensei quase alto- com certeza, elas se enganarão, engolirão a isca enganadas, he, he, e, pensando ser as minhas, he,he,...!
Já era tarde, andei mais, nem escolhi lugar, sentei olhando um bem-te-vi mergulhar, se espojava,  e, parecia me desafiar... -não pulo mesmo!!!- fiquei um tempo molhando a minhoca, o bem-te-vi se foi, caiu um profundo silencio!Quase, pois eis que deste sossego desponta um tic-tack-tic-tack, quase nem percebi, se tivesse outro ruído, mínimo que fosse! Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,…
Será o Benetido! De onde vem este ruído? Mais parece um relógio!
Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,... Tic-tack-tic-tack, ...
E, é, é o tic-tack d´um relógio! Caramba...!
No silencio, se sobressaia, parecia barulho de carrilhão!!! Daqui a pouco, começa a badalar, são quase 8 da noite!!! He, he, he... Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,... Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,... Tic-tack-tic-tac, ... tic-tack-tic-tack,... não é possível. Vasculhei tudo em volta, clareando com o farolete de carbureto, remexi as moitas e, nada! Bem –pensei- estou meio apavorado, vou parar e ... bem, deitei na grama, peguei um ramo de capim  rabo de burro, fiz de palito, mirando as estrelas que já apareciam no céu. Um brilho diferente, uma bola brilhante, epa, aquilo não era estrela! Olhei firme e atento, a uns três metros de altura, pendurado firme num galho... Era de lá que vinha o Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,... Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,... Tic-tack-tic-tac, ... tic-tack-tic-tack,... Eureka !!!
…Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,... Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,... Tic-tack-tic-tac, ... tic-tack-tic-tack,... disparado!!!
Bem minha gente, vou resumir pois já é tarde:
-“Tem uns quatro anos, fiz neste local uma pescaria, como sempre, chego, limpo um terreno, espalho minhas traias e, neste dia, dependurei meu “Roscofe” - Rosskopf & Co.Patent – herança do meu bisavô, relógio de bolso, cebolão com corrente e tudo -de estimação-, de pobre, mas não de pooobre, de pobre!!! Pois pooobre não podia comprá-los, mas, pobre, podia. Eu tinha um destes, herança, herança do meu bisavô!!!Estimava muito...
Então, dependurei meu Roscofe num arbusto perto da minha vista ... Sem ter por onde ou porque, desaba um dilúvio, vai entender este tempo, céu limpo, nem vi ... aguaceiro que Deus mandava, corri as traias que pude e me mandei  pois chovendo daquele jeito não conseguiria atravessar a pinguela e, teria que dormir por lá mesmo. Trepado numa árvore feito gabiru!
Na pressa, ficou minha herança dependurada... já estava longe, o rio já devia estar transbordando... Bem volto amanhã e pego!
Coisas do destino, fiquei mais de um mês sem poder voltar a ver as águas do Bonito.
Quando pude, voltei, vasculhei tudo, mas nada de encontrar o cebolão. Nem achei mais o lugar ... coisas do mato, a gente roda, roda, passa no mesmo lugar... bem isto, já é de outra estória!!!
        Dei por perdido meu antigo relógio mecânico, destes, de se dar corda ... herança!
Acho que algum sortudo o encontrou! Deve tê-lo vendido e tomado tudo em pinga!
Bandido!!!
        Trocou minha herança por um gole de cachaça ... ainda se for da boa, vá lá!!!”  Estas e mais algumas coisas me passaram pela cabeça naquele dia...
Agora, feliz, com meu relógio de novo ... Imaginem que o danado, ficou espetado todos estes anos, naquele aça-peixe, que cresceu e o guardou para mim, seu balanço ao vento, estimulou seu movimento – estava só alguns minutinhos atrasado – e, ainda me reconheceu!!! Botou a boca –modo de dizer- no mundo e disparou alto quanto pode seu Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,... Tic-tack-tic-tack, ... tic-tack-tic-tack,... Tic-tack-tic-tac, ... tic-tack-tic-tack,...feliz e, disparado!!!
Esta comigo até hoje!!!
Como ficou muito tempo no tempo, escureceu um pouco, perdeu o banho de níquel ... tadinho!
Como premio pela sua fidelidade, ganhou -de mim é claro- um banho de ouro, até a corrente, o fecho... !!!
        Verdade, verdadeira!!!

marinho
Enviado por marinho em 08/12/2005
Código do texto: T82750
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
marinho
Descalvado - São Paulo - Brasil, 67 anos
146 textos (78704 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:24)
marinho