Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POBRE DEFUNTO MORTO, QUASE ME MATA DE SUSTO!

 Quem acompanha minha curta trajetória de "contista" sabe bem como sou escandalosa e ainda por cima desastrada. E que para mim só sobrou a entrada em velórios.Bem, sobrava...
 Sabe aquela pessoa que nào consegue controlar o choro,fica de olhos vermelhos de tanto chorar e recebe os pêsames de todos mesmo que não seja
íntima da família? Essa sou eu!
 Meu vizinho faleceu depois de passar o dia na farra, bebendo, e a noite ao querer fazer sexo com a mulher,não deu outra: enfartou, caiu mortinho em cima dela!
 Eu por nada do mundo ia perder essa!.No velório (lotadérrimo) fui logo entrando aos prantos,cumprimentando à todos, distribuindo tapinhas de consolo nas pessoas,para uns eu dizia:- Combinação perigosa essa, de bebida e sexo! Para os mais novos, dizia baixinho:- Que morte gloriosa,heim, morrer "trepando"...
 E lá vou eu destribuindo meus pêsames e lágrimas até chegar próximo ao caixão...E qual não foi meu espanto ao ver nele o rosto de uma velhinha com mais de 90 anos!
 Disfarcei e saí de fininho! Aonde, droga, estaria ocorrendo o velório do meu amigo? Claro que ao lado do que entrei! Ao ver rostos conhecidos, logo pensei:agora nào tem erro! Erguí a cabeça, enchí os olhos de lágrimas e entrei.Com medo de dar mais um "fora"fui direto cumprimentar a viúva, afinal essa eu conhecia!
 Toda de preto, num vestido justo e muito curto (já?) ela usava um imenso chapéu, do tipo que eu só via em novelas... Aos prantos, corrí para abraçá-la:_Querida, que coisa triste!Na ânsia de confortá-la fui logo derrubando seu chapelão,que naturalmente tinha que cair em cima das velas e essas nào escolheram outro lugar para cair senão em cima do morto!
 Nem tive dúvidas:-morto por sexo e alcóol vá lá, mas queimado, não! Num ato heroíco tentei segurar as velas, escorreguei,caí, minha perna empurrou um dos suportes que seguravam o caixão e não deu outra:_Virou caixão com o morto bem por cima de mim! Gritei apavorada! Algumas pessoas tentavam apagar o fogo que tinha começado no véu do chapéu da viúva, outras correram para erguer o caixão e o defunto...e eu lá, estendida no chào com uma coroa de flores aonde se lia "Descanse em Paz" sobre meu rosto...
Até hoje não entendí porque preferiram primeiro ajudar o morto (que já estava morto mesmo) do que a mim...
 Quando conseguí me levantar (sòzinha) fui convidada "gentilmente"a me retirar.Desconfiada ainda arrisquei uma olhada para o caixão e tive a nítida impressão que o defunto ria...
 Também,pudera, num só dia, sexo, alcóol e diversão!
Frann
Enviado por Frann em 08/01/2006
Código do texto: T96079

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Francy Maia http://recantodasletras.uol.com.br/autores/Frann). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Frann
Fortaleza - Ceará - Brasil, 62 anos
35 textos (3693 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 08:13)
Frann