Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Juminha, a Minhoca Esperta.

Juminha é uma minhoca muito esperta. Ela mora na horta do Senhor João, onde ele planta cenoura, alface, tomates e outros legumes deliciosos.

Certo dia, o Sr. João decidiu ir pescar e foi até sua horta para procurar uma boa minhoca para sua pescaria. Revirando a terra ele achou Juminha e a colocou dentro de um ‘pótinho’, pois ia usa-la como isca para pegar um peixe bem ‘grandão’.

Quando chegou no rio, o Sr. João colocou seu barco na água e, escolhendo um bom lugar, pegou a vara de pescaria e já colocou Juminha no anzol, jogando-a para dentro do rio.

Tchibum, lá foi a pobre Juminha na água e mais que depressa já apareceu um peixão abrindo a bocarra pra engolir a pequena minhoquinha.

Mas Juminha pensou rápido e quando já estava quase dentro da boca do peixe, disse:

- “Ei ei. Vamos parar com isso? O que você acha que vai fazer?”

O peixe achou estranho, olhou para ela e disse:

- “Oras, eu vou comer você. Eu sou um peixe e peixes comem minhocas.”
- “Pode parar de palhaçada.” Disse Juminha em um tom autoritário. “Eu venho aqui pra ajudar vocês e é assim que sou recebida?”
- “Nos ajudar?” disse o peixe com um olhar desconfiado.
- “Isso mesmo. Ajudar vocês. Eu sou Juminha e trabalho na Companhia de Despoluição de Rios, Lagos e Lagoas Poluídos, a CoDeRLLAP. Nossa empresa constatou que seu rio está muito poluído e viemos aqui para fazer uma limpeza.”
- “CoDeRLLAP? Você ta brincando comigo não é?” perguntou o peixe muito, muito desconfiado.
- “Isso mesmo. Vem cá, ô sr. Peixe, ali no fundo, eu to vendo um negócio preto, pegue-o e traz aqui pra mim.”

O peixe olhou para baixo e viu que lá no fundo realmente tinha algo estranho. Nadou até lá embaixo e trouxe para Juminha uma botina velha e a enroscou no anzol.

Quando a botina ficou preza, o Sr. João, lá em cima, sentiu o peso e, pensando que era um peixe, deu um forte puxão. Ah, que decepção, veio apenas uma botina velha e ele a jogou atrás no barco, mergulhando novamente a Juminha na água.

Quando ela chegou lá no fundo de novo, o peixe disse:

- “Pôxa, você estava mesmo falando a verdade. Você trabalha na CoDRLLAP mesmo. Vou buscar mais lixo que está lá no fundo.”

O peixe chamou outros amigos peixes e todos eles começaram a trazer vários lixos que estavam poluindo o local. Em duas horas de pescaria, o Sr. João puxou de dentro do lago três pneus velhos, um monte de lata e garrafa de plástico, duas bolas murchas, dois pares de botina e até um rádio todo enferrujado.

Toda hora que ele puxava o anzol esperando um peixão, tinha uma grande decepção, pois, na ponta da linha, só vinha os sinais da poluição... (uia, rimou... rs...)

Depois de ter enchido o barco de bugigangas, o Sr. João desistiu da pescaria e colocou Juminha dentro do ‘pótinho’, voltando para casa e colocando-a de volta na horta de sua casa.

Mal sabia ele que, com a ajuda da minhoquinha esperta, tinha limpado todo um lago e os peixes ficaram muito, muito felizes.

Juminha continuou vivendo na horta do seu João e se um dia você for pescar e vier na vara algo da poluição, lembre-se que foi aquela pequena minhoca que deu aos peixes esta lição... (uia, rimou de novo...)

..............

OS.: Esta história foi criada quando eu tentava embalar o sono da minha filha Lívia, de 3anos e meio de idade. Quando terminei de contar, ela disse:
- “Agora eu quero que você conte a história da mãe da Juminha.”
- “Eu nem sei o nome da mãe da Juminha, filha.” Eu disse tentando me livrar.
- “Mas eu sei.” Respondeu a pilantra. “Ela chama JUMONA.”
Eu só pude sorrir e, já esperando a resposta, perguntei:
- “E o pai da Juminha? Qual o nome dele?”
Ela fez a maior cara de sapeca do mundo e respondeu:
- “É JUMÃO...”
Essa Lívia tá ficando pior que eu... rs...
Ah, que todos saibam que o pai e a mãe da juminha se chamam JUMONA e JUMÃO...




Kzar
Enviado por Kzar em 18/05/2006
Reeditado em 28/10/2008
Código do texto: T158599

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite autor: Denis Clebson da Cruz (KZAR) e link da obra). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Kzar
Mundo Novo - Mato Grosso do Sul - Brasil, 39 anos
85 textos (93071 leituras)
2 áudios (500 audições)
1 e-livros (481 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 14:57)
Kzar