Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AS DUAS VAQUINHAS

Uma camponesa tinha um galinheiro com muitas galinhas de boa raça, algumas cabras e carneiros, um boi e duas lindas vaquinhas. Bem tratadas, elas davam muito leite o que provocava a inveja do seu vizinho, um homem de maus bofes. Um dia, ao se levantar pela manhã, a camponesa não viu as vaquinhas no pasto. Ficou desesperada. Saiu procurando por todos os lugares e não as encontrou. Já estava sem esperança de achar os animais quando topou com o moleque Quincas que lhe disse:

- As vacas estão com o Bastião, o homem sem coração.

E como ele sabia disso? Perguntou a camponesa com os olhos brilhando de alegria. É que na última invasão de Quincas ao pomar do Bastião para apanhar as goiabas maduras ele viu, escondidas no fundo do curral, as duas vacas.

A mulher foi falar com Bastião. Pediu a devolução das vacas e o homem, grosseiramente, lhe disse que para devolver as vacas ela teria de “untar” a sua mão com o que ela escondia no armário da cozinha. A pobre mulher, analfabeta, não sabia o significado de “untar”, então ela foi perguntar ao juiz que lhe disse:

- Untar é passar substância gordurosa em algo ou alguém...
A camponesa voltou para sua casa e mandou avisar ao Bastião que ela iria, no dia seguinte, buscar as duas vacas. Assim fez. Chegou trazendo um caldeirão bem tampado. O homem foi logo perguntando, de olho no caldeirão:

- Vai “untar” a minha mão com aquilo que você guarda no armário da cozinha?
Ela não respondeu. Aproximou-se. O homem estendeu a mão. Ela tirou a tampa do caldeirão, meteu a mão e sacou um punhado de banha passando na mão do espertalhão dizendo:

- Pronto, já untei a sua mão! Agora quero as minhas vacas.

- Nada disso! Quando eu disse “untar” eu quis dizer “pagar” com aquilo que você guarda no armário da cozinha. – disse nervoso o Bastião.

- Acontece que “pagar” é com dinheiro, e dinheiro eu guardo no colchão e não no armário da cozinha. Eu cumpri a minha parte direitinho: “untei” a sua mão conforme o seu pedido, agora você cumpra a sua devolvendo as minhas vacas ou eu levo o caso ao conhecimento do senhor juiz.

Vendo a besteira que fizera, Bastião, que temia a severidade do juiz, devolveu as duas vaquinhas e aprendeu que aquele que se julga muito esperto é sempre o mais tolo.
02/10/06.

(história inspirada na fábula medieval “A Velha que untou a mão do Cavalheiro)
Maria Hilda de Jesus Alão
Enviado por Maria Hilda de Jesus Alão em 02/10/2006
Reeditado em 21/04/2011
Código do texto: T254421

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Hilda de Jesus Alão
Santos - São Paulo - Brasil
848 textos (343240 leituras)
19 áudios (10580 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 07:52)
Maria Hilda de Jesus Alão