Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Dromedario e o camelo

O DROMEDÁRIO E O CAMELO
Bem meus amiguinhos, vocês já sabem as diferenças que existem entre os dromedários e camelos.
   Então vamos conhecer os personagens de nossa historinha, o dromedário José e o camelo Jofre, cruzavam o deserto de um lado para outro sempre, imensas dunas de areia branquinhas eram a paisagem mais freqüente além é claro da enorme fila que a caravana formava em suas rotas eternas indo e vindo.
  Mas vocês não sabem é que fazia parte da rota deles passar pelo Egito, Vale dos reis, as pirâmides, todas  aquelas maravilhas do antigo Egito.nossos amiguinhos estavam acostumados  a ouvirem as mais diversas e atemorizantes histórias de faraós, múmias ,maldições, monstros, deuses,etc.Muitos tremiam de medo ao passar por lá.
   Certo dia a caravana resolveu que iriam passar a noite, próximos das pirâmides de Guisé, quando José ouviu isto procurou logo Jofre e lhe falou assustado:
-Jofre! Não gosto nada desta idéia!
-Nem eu! Respondeu-lhe o amigo.
-você já imaginou o que pode acontecer?-Dizem que à noite os soldados levantam-se da areia para proteger o faraó e costumam sumir com todos que ali estão!E assim nossos amiguinhos assustados conversavam.
O sol mais vermelho do que nunca  se pôs no horizonte de dunas douradas.Os beduínos agitados e cansados preparavam sua refeição e suas camas para dormirem.Uma brisa começava a soprar, deixando nossos amiguinhos de orelha em pé, para eles qualquer movimento estranho era um perigo do outro mundo.
  José contava ao amigo as bravatas de sua ultima aventura no deserto, do que já havia passado de quando enganou a temida serpente do deserto e assim livrara todas as caravanas do horror que era o ataque deste animal maligno.Dizia:
-Mas uma coisa é lidar com um animal de carne e osso, outra é lidar com coisa de outro mundo não se sabe como se defender daquilo que não se conhece.
   Assim girava a conversa, só por estes assuntos.enquanto isto a brisa se transformava em vento e parecia que se aproximava uma tempestade de areia, a noite veio depressa mal se via a silhueta das pirâmides, que lhes parecia por demais assustadoras, vinha-lhes a mente todas as histórias que conheciam.O vento e a areia  castigavam os beduínos e seus animais, já acostumados com isto.
   Porém um barulho horrível como que marchassem sobre eles um batalhão gigantesco batendo os pés , se fez ouvir cada vez mais próximo, mais intenso...
      O vento cada vez mais forte, a areia fazia redemoinho,  minutos, segundos, para José e Jofre e os demais pareceram uma eternidade, parecia um pesadelo.quando tudo se acalmou, tudo estava desorganizado. Quando o dia  chegou encontrou  beduínos e animais de olhos bem abertos, olharam ao redor e viram marcas de pés para todos os lados.Trataram de montar em seus animais e saírem de lá o mais depressa possível.
     Jofre e José juraram que nunca mais estariam em uma caravana que pernoitasse neste lugar,pois não conseguiram parar de tremer por muito tempo, tamanho foi o susto que levaram

Claudeth Harthmann Silveira
Enviado por Claudeth Harthmann Silveira em 08/11/2006
Código do texto: T285477
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Claudeth Harthmann Silveira
Sapucaia do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil, 60 anos
3 textos (308 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 23:16)