Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A FORMIGA BARRIGUDA

CERTO DIA, AO MEIO DIA,
D. FORMIGA, QUE ERA ESGANADA,
FICOU COM UMA FOME DANADA.

D. FORMIGA! VÊ SE TE MANCA!
ESSA FOLHA É MUITO GRANDE
PARA O SEU TAMANHO.

CARREGÁ-LA NAS COSTAS É IMPOSSÍVEL,
MAS, D. FORMIGA QUE NÃO SE CANSA,
CORRE AO ENCONTRO DA TURMA.

UMA, DUAS, TRÊS.
TODAS DE UMA SÓ VEZ.
LEVARAM A IMENSA FOLHA PARA O FORMIGUEIRO
E FIZERAM UMA FESTA.

NO DIA SEGUINTE,
MUITO BARRIGUDA,
D. FORMIGA ACORDOU.

SE OLHOU NO ESPELHO,
VAIDOSA COMO ERA,
LEVOU UM BAITA SUSTO;
QUE BARRIGA ERA AQUELA?

TOMOU LOGO UM PURGANTE,
QUE HORROR!!!
MAS NUM INSTANTE,
VOLTOU A FICAR ELEGANTE.

E APRENDEU...

QUE A UNIÃO TUDO CONSEGUE,
ENTRETANTO, NÃO SE DEVE,
SER ESGANADA DEMAIS.

E, EM FESTA NO FORMIGUEIRO
NUNCA COMER COM EXAGEIRO,
SENÃO... VAI PARAR NO HOSPITAL.
Vera Ribeiro Guedes
Enviado por Vera Ribeiro Guedes em 29/06/2005
Código do texto: T29067

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site www.recantodasletras.com.br/autores/vera). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Vera Ribeiro Guedes
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil, 54 anos
131 textos (41786 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:35)
Vera Ribeiro Guedes