Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

COISAS DE CRIANÇAS


                                                                                                                                                                                                                                                               
                                                                                                                                                                                                                                                             
                                                                                                                                                                                                                                     


          Altas horas da noite, um garotinho, que não está  com sono, interroga o pai que está  "morrendo” de sono.
          – Papai, o Papai Noel existe?
          – Claro que ele existe, meu filho!
          – Mas o seu Aluísio disse que Papai Noel não existe.
          – Esqueça o que ele disse, filho.
          – Mas papai, já que o Papai Noel existe, por que eu não ganhei um presente no Natal?
          –... Bem filho, talvez você não tenha sido um bom aluno.
          O pai, que estivera desempregado um longo período, tentou desculpar-se.
          – É, papai. O senhor tem razão! Eu não fui um bom aluno... Mas, papai, o Zezito também não foi um bom aluno e nem por isso deixou de ganhar uma bicicleta de presente do Papai Noel. Será  que ele gosta mais do Zezito do que de mim, por Zezito ser o filho do prefeito?!
          – Não, filho. Deixe-me lembrar... Já  sei! Talvez o Zezito tenha feito uma boa ação.
          – O senhor tem razão, meu pai. Ele é um escoteiro-mirim.
          – Não é isso, filho. Para se fazer uma boa ação, não é preciso ser um escoteiro-mirim. Qualquer pessoa pode e deve fazer boa ação!
          – O senhor quer dizer que o Papai Noel gosta de quem faz boa ação?
          – Claro, “meu anjo!” Todo mundo gosta de alguém que faz o bem. De alguém que ajuda as pessoas que estão em dificuldades.
     
         – Meu pai,  já  que o Papai Noel existe, se eu fizer o bem e acreditar nele, ele virá  no próximo Natal?
        – Certamente, filho!
        – Então, meu pai, eu posso dizer que acredito nele?
        – Filho, primeiro que tudo, seja bom.
        – Então eu posso ser bom e dizer que acredito nele?
        – Não precisa dizer nada. Apenas seja bom e acredite–explicou-lhe o pai,  já  bocejando.
        – Papai, de hoje em diante serei bom e vou dizer que acredito.
        – Zequinha, não precisa falar nada. Apenas acredite.
        – Satisfeito com aquelas “poucas” perguntas, Zequinha rezou  preparando-se para dormir.
       – Boa noite, papai. Boa noite, Papai Noel–foram as palavras de Zequinha, cochilando em seguida.
        Não foi possível obter resposta de nenhum dos dois “pais” (AMBOS)DORMIAM!!!




Este trabalho está registrado na Biblioteca Nacional-RJ
 
 
 
carlos Carregoza
Enviado por carlos Carregoza em 17/11/2006
Código do texto: T293724
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
carlos Carregoza
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 53 anos
102 textos (5970 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 18:31)
carlos Carregoza