Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O COELHO E A TARTARUGA

O COELHO  E  A  TARTARUGA


Numa floresta, um coelhinho corria para se abrigar da chuva. Corria para um lado, corria  para outro, mas não encontrava lugar seco e seguro.
De repente, encontra uma tartaruga, paradinha num canto; dela só se via o casco, pois, nessas horas, ela esconde a cabeça e as pernas e assim fica protegida...
Como era muito educado, alegremente, o coelhinho a cumprimentou:
_ Boa tarde, dona Tartaruga! Que chuvinha chata, não é?
Dona Tartaruga, que não  gosta muito de conversa,respondeu com um muxoxo:
_ Hum... para  mim, tanto faz...
_ Isso é porque a senhora tem a sua própria casa... Como a invejo... Estou aqui com tanto frio! Não sei para onde ir... disse ele, meio tristinho.
_ Não me inveje porque, embora a minha carcaça sirva de abrigo, por outro lado, torna-se,também, muito pesada de carregar... Você, ao contrário, pode correr à vontade pelos campos e brincar com outros animais; eu é que deveria invejá-lo...
O coelhinho ficou pensativo e, assim que a chuva passou, correu para perto de sua mãe e de seus irmãos. Quando chegou, foi logo, contando para a mamãe Coelha, a conversa que tivera com a tartaruga. A Mamãe Coelha ouviu, com atenção e, depois de pensar um pouco, disse:
_ Meu filho, a Dona Tartaruga está certa. Não devemos invejar ninguém; você tem a mim e seus irmãos... Se ficarmos juntinhos, não sentiremos frio, quando temos  fome, não faltam alimentos como: folhas verdinhas e variadas, pequenos frutos que encontramos pela mata. Dona tartaruga é muito solitária e, por isso ela, ela está sempre  tristonha...
_ Se é assim, vamos, então, fazer  uma festinha para  que ela fique bem contente?!!!
_ Como assim? Perguntou dona Coelha.
 A senhora vai ver, é uma surpresa...
Dona Coelha ficou curiosa, mas nada disse pois sabia que o seu coelhinho era muito bondoso e só poderia aprontar coisas boas.
No dia seguinte, ele  reuniu os outros coelhos e combinaram tudo. Chamaram a mamãe Coelha e lá foram eles para onde estava a Tartaruga. Levavam uma cesta fechada e mamãe Coelha ficava,  cada vez, mais curiosa...
Estava um lindo dia...;  por isso a tartaruga estava acompanhada  por outras, pegando um solzinho agradável.
De repente, os coelhos chegaram, rodeando-as.
_ Bom dia, senhoras! Como vão?
_Como Deus manda... Nessa vida sem graça, que levamos, nossa única alegria é este sol maravilhoso. E vocês, que trazem aí nessa cesta? Perguntaram.
_ É um presente pra vocês. Queremos  vê-las alegres; por isso, vamos fazer uma festa.
A seguir, começaram a despejar frutos e outros vegetais ao chão, para que todos pudessem comer...
De barriga cheia, começaram todos, a dançar e a cantar numa alegria louca! As tartarugas, que não esperavam tanta surpresa, foram ficando tão contentes que, aos poucos, começaram, também, a dançar uma dança divertida; ficavam em pé nas patas trazeiras e rodopiavam com o pescoço bem esticado!
Todos riam pra valer. Era, realmente, engraçada, aquela festa, onde todos  dançavam, comiam e se divertiam...
Quando anoiteceu, a festa acabou e  dona  Tartaruga agradeceu à Mamãe Coelha a festa surpresa; e deu-lhe os parabéns por ter educado tão bem os seus filhotes...
E  ASSIM  ACABOU  ESTA  HISTÓRIA.
Dona Coelha pegou seus coelhinhos e foram pra casa contentes por terem praticado uma bela ação!!
 

Tete Brito
Enviado por Tete Brito em 08/07/2011
Código do texto: T3084043
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tete Brito
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 80 anos
110 textos (7715 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/12/14 23:55)
Tete Brito



Rádio Poética