Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
O Muso Atormentado e a Poetisa

Ah! Todas as vezes que eu te ligo
Tu falas sempre desse amigo,
A quem tu confias teus rabiscos,
Teus escritos, manuscritos,
Teus amores, teus delírios.
Eu me zango, mas não digo
E em nefastos descompassos
Dos meus nos teus braços
Esqueço desses rumores de amores
Eles não existem
São só poemas muito tristes,
Em teus arvores de poetizar.

Ah! Todas as vezes é domingo,
E eu me perco em labirinto,
Quanto percorro teus amigos
Nos teus livros,
Nos teus gemidos,
Estampados na varanda
De onde avistas o paraíso,
E dependuras teus vestidos
Transparentes, coloridos a tremular.

Ah! Minha doce amante amiga
Não é preciso que me digas
Sei que sofres com teus versos
E por mim, num só reverso,
Te transformas em mendiga
Me implorando sem medida
Amores que eu não posso dar.
Divina Reis Jatobá
Enviado por Divina Reis Jatobá em 18/09/2006
Reeditado em 19/02/2007
Código do texto: T243533

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Divina Reis Jatobá - recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Divina Reis Jatobá
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 55 anos
289 textos (39970 leituras)
6 áudios (1218 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:11)
Divina Reis Jatobá