Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NASCER É CARO

Nascer é caro

Será que um dia eu que vou parar
De me atolar, nesse atoleiro?
Q’eu não criei.
Quem poderá me salvar,
Será que o chapolin colorado?
Vem me ajudar.
Eu devia ter direito, de não ter,
Que trabalhar tanto, pra pagar,
Salário de ladrão,.
Que se diverte dançando,
Fazendo do povo,
Recheio pro seu pastelão.

Enquanto isso

Preciso dinheiro, ou fico no escuro,
Preciso dinheiro, pra falar contigo,
Preciso dinheiro, ou fico,
Calado, no escuro e fedido.
Preciso dinheiro, pra tudo que pensar,
Nascer é caro.
Viver, nem da pra calcular,
Morrer é um absurdo.

Falar eu falo, raiva eu tenho,
Será só isso q’eu posso fazer.
Não posso perder o juízo,
Pagar e ficar no prejuízo,
Pros piratas, do poder.
Que roubalheira, n’um é brincadeira.
Será que um dia isso vai parar,
Meu voto é só uma piada,
Votar em quem, se é tudo canalha.
Que quer ver o povo, oleleê.

Preciso dinheiro, ou fico no escuro,
Preciso dinheiro, pra falar contigo,
Preciso dinheiro, ou fico,
Calado no escuro e fedido
Preciso dinheiro pra tudo o que pensar
Nascer é caro,
Viver nem da pra calcular,
Morrer é um absurdo.

JAlves
Enviado por JAlves em 25/11/2006
Reeditado em 02/12/2006
Código do texto: T301117

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (J. Alves http://www.recantodasletras.com.br/autores/jalves). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JAlves
São Paulo - São Paulo - Brasil
102 textos (11523 leituras)
16 áudios (2198 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:27)
JAlves