Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ODEIO POBRE

Odeio pobre

Odeio pobre, fosse por mim,
Eu faria um aterro de pobre.
Pobre só serve pra >> olele<<
Assim, disse o deputado.
Assim pensa o candidato
Assim trata o resto do poder.

Sou realista,eo que eu posso ver.
Estamos vivendo uma Hecatonbe moral.
Votar seria o modo de mudar,
Mas votar em Q, mas votar em quem,
Nao acredito mais, em nada e ninguem.
Fico no meu canto e tento, só sobreviver.

Tudo global, toda essa miseria.
Tudo global, a corrupçao.
Tudo global, tanta demagogia
Tudo global a hipocrisia.
De suas excelencias, que estao no poder.

Tem aquele que se sente o inperador do mundo moral.
E o outro que acha que é dono, desse globo estelar.
E cada um tem seus emissarios,
Em cada pais, ou estado ou cidade
Vai descendo e lá no final,
Tem o povo como sempre la no final pra se olelele.

Globalizado, explodiu uma bonba alí.
Voce pode ver agora na televisao.
Mas se a bomba cair na sua cabeça,
Voce, vai sair na televisao.
Nem que seja um pedaço, só pra dar ibope.

Haja esperança, pra se esperar,
Que chegue a hora de ir embora
Sem tanto penar.
Eu sou só ninguem, no meio do povo.
Sou só ninguem, pra onde que eu corro,
Pra quem pedir socorro.

J. Alves.
JAlves
Enviado por JAlves em 02/12/2006
Código do texto: T307667

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (J. Alves http://www.recantodasletras.com.br/autores/jalves). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JAlves
São Paulo - São Paulo - Brasil
102 textos (11540 leituras)
16 áudios (2199 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 00:40)
JAlves