Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Apenas amei...

As vezes confundimos nossos sentimentos, pensamos que estamos amando uma pessoa e depois descobrimos que o que realmente sentimos é apenas compaixão, pena, dó.
Me apaixonei por um homem que era totalmente diferente daquilo que dizia ser, vivendo num mundo totalmente diferente daquele que me mostrava, amei um homem sem sentimentos e sem coração.
O homem por quem me apaixonei era íntegro, sincero, realista, mas aos poucos fui descobrindo que esse homem quase perfeito era uma fraude, um mentiroso, um homem confuso, sem rumo, que vive num mundo de fantasias, resumindo um homem sem caráter definido, sem personalidade própria, um homem imcompleto em todos os sentidos.
Os olhos de uma mulher apaixonada demoram a ver a verdade e quando a realidade chega, que ela deixa de ver com os olhos do coração e começa a ver com a razão descobre que seus sentimentos também eram confusos, que mesclou amor com piedade, que seu afeto e ternura fizeram parte de uma relação quase incestuosa, pois  mesmo estando apaixonada o sentimento mais forte que nutria era o de proteger o seu amado tão inseguro e desprotegido do mundo real, como uma mãe protege seu filho.
Mesmo quando me recordo de momentos  que esse meu amor quase perfeito dizia com rara sinceridade "eu te amo" ou "amo você", já não sinto mais necessidade de ouvir essas palavras, não sinto falta do carinho, do afeto, dos abraços, não sinto mais falta de nada dessa pessoa,  e então percebi que estou livre de um sentimento que me oprimia, me deixava insegura, que me fazia sentir incompleta e frágil.
A alguns dias ao rever esse homem me questionei sobre quais razões fizeram com que eu me apaixonasse por ele, e não vi nada nele para que isso tivesse acontecido, e buscando dentro de mim descobri que me envolvi emocionalmente porque eu mesma havia decidido que estava na hora de gostar de alguém, poderia ter sido outro homem qualquer, só que o acaso fez com que fosse essa determinada pessoa a cruzar meu caminho, e só posso agradecer ao Todo-Poderoso por ter me feito ver a tempo que eu jamais poderia ser uma mulher realizada ao lado de um homem que não sabe oque quer da vida, que só sabe sonhar, que nunca encara responsabilidades ou mesmo a vida real de frente, um homem que não luta por um ideal de convivência, uma pessoa que vive de falsas aparências, que vive num eterno mundo de fantasias querendo sempre ser mais do que realmente é.
Mas também agradeço a Deus porque sei que por algum tempo convivi com aquele que eu considerava ser o grande amor da minha vida, por saber que por algum tempo realmente houve um sentimento sincero entre ambos, que por pouco mas valioso tempo ele também me amou, e hoje sem mágoas, sem ressentimentos posso dizer que amei quem nunca fez por merecer o meu amor, que nos derradeiros dias em que estivemos juntos meu coração já não nutria mais amor por ele, apenas um sentimento de amizade, compaixão e tristeza por saber que foi ele que matou o sentimento puro e sincero que havia entre nós dois.
Espero que um dia ainda possa  fazer valer a verdade e sem lágrimas, sem rancores ou mágoas possamos ser bons amigos.
Estou feliz e livre para amar de novo.
 
Adelaide Wlodkovski
31/08/04
Ade Wlod
Enviado por Ade Wlod em 17/02/2006
Reeditado em 04/07/2009
Código do texto: T112859

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ade Wlod
São José dos Pinhais - Paraná - Brasil, 55 anos
59 textos (8532 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:01)
Ade Wlod