Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Caminhando e aprendendo...

 Nos dias que se passam, aprendemos várias coisas as quais podemos assimilar ou não, o que depende exclusivamente de nós... Neste vasto aprendizado chegamos a algumas conclusões, e estas ao auscultar aqui e ali, nos deparamos com os seguintes pontos: não podemos exigir o amor de ninguém; não podemos passar anos construindo uma verdade e simplesmente destruí-la em segundos; não podemos construir ou esperar algo através do charme e ou simpatia;
Mas relativamente as coisas que aprendemos vamos valorizando alguns hábitos e ou costumes na vida, os quais devemos sempre ter em mente, como: tudo que fizermos em um minuto do nosso caminho, podemos responder pelo resto de nossas vidas; que a pessoa que queremos ser, leva tempo para ser moldada e limada, sendo assim devemos ser pacientes; que devemos controlar nossos pensamentos para não ser controlados por eles; que podemos ir além dos nossos limites desde que não interfira no do outro; que a ajuda nos momentos difíceis vem normalmente de quem não esperamos; que podemos ficar furiosos a ponto de nos irritar, mas não temos o direito de ser cruéis; que podemos ter amigos que nos decepcionem de vez em quando, mas temos de nos acostumar com este facto, pois isto depende da nossa concepção de vida, e por sermos únicos, somos diferentes em relação ao todo; que não importa o quanto estamos sofrendo, o mundo não vai parar por conta disto; que as circunstâncias inerentes a nossa infância são responsáveis pelo que somos, mas não pelas escolhas que fizemos na fase adulta; que quando discutimos com alguém, não significa que a odiemos e se isto não ocorre, também não significa que a amemos; que nossa existência pode mudar em poucas horas por causa de pessoas as quais nunca vimos antes; que os diplomas não nos fazem mais sábios e ou responsáveis; que a palavra AMOR perde o sentido quando usada sem critério, e de forma vulgar; que perdemos algumas pessoas em nossa vida e isto é um facto,mesmo que tentemos fazer qualquer coisa afim de aprisioná-las elas vão embora de qualquer maneira; sendo difícil traçar meios para estar bem e ou segurar alguém próximo à nós, visto ser complicado traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, pois depende muito dos olhos daquelas que estão a observar nos, simplesmente devemos lutar pelo que acreditamos e estarmos sempre em melhoria contínua de valores, aprendizagem, controlando assim nossas emoções, gerindo nosso tempo, planeando nossa vida, estabelecendo a devida comunicação e organizando nosso conhecimento...





Carolzita
Enviado por Carolzita em 01/05/2006
Reeditado em 10/02/2008
Código do texto: T148608

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Caroline Silva). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Carolzita
Portugal, 42 anos
453 textos (61655 leituras)
5 e-livros (749 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 09:09)
Carolzita