Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Novo tipo de assalto

Gente eu estou acabada, em frangalhos.

Esta tarde sai em meu carro para encontrar uma amiga na estação Santa Cruz do Metro, parei obrigatoriamente em um semaforo, uma linda menina muito bem vestida e muito bem cuidada de mais ou menos uns doze anos, aproximou-se do carro pedindo ajuda, estava chorando muito, disse que não era de São Paulo que havia se perdido da mãe, me pediu para leva-la a uma delegacia de policia para poder encontrar-la.
Perguntei se mãe tinha celular respondeu-me que não.
Perguntei onde elas estavam hospedadas em São Paulo, me respondeu que na casa de uma Tia mas que não sabia o endereço, a tonta ( eu ) destravou as portas do carro, a menina entrou, eu dirigindo e falando com ela que iria antes até a estação do metro para falar com minha amiga que já devia estar me esperando.
Eu dirigindo e conversando com ela e prestando atenção ao transito quando ela tira uma arma da bolsa e diz fica quieta e dirige eu digo o caminho.
Ela tremia e eu também, o meu medo era mais por causa do nervosismo dela, andamos umas 10 quadras a frente e ela me mandou parar. Logo chegou um garoto de que devia ter uns 16 anos, entrou no carro e disse só queremos dinheiro, passa a grana que nada te acontece, dei o dinheiro que tinha, mais ou menos uns 150 reais.
Fui obrigada a ir para o Capão Redondo ele ditou o caminho, lá compram drogas e seguimos adiante, eu nem sabia onde eu estava, um lugar horrível, estranho apavorante.
O garoto disse tá bom aqui pode parar, vamos descer e você vai embora e nem tenta olhar para trás por que te apago, e saíram do carro.
Eu muito nervosa sai de lá o mais rápido possível, me perdi não sabia onde estava, fiquei alucinada.
Depois de algum tempo consegui encontrar a Marginal Pinheiros voltei para casa e me acalmei, fui a 14ª Delegacia De Policia e abri o B.O.
Conversando com a Delegada de plantão ela me disse que isso vem acontecendo muito e que o objetivo é a compra de drogas mesmo, e que dificilmente eles encontrariam essa duas pessoas e que eu tive muita sorte de sair viva de tudo isso porque se eles se sentem ameaçados atiram mesmo.
Estou contando o fato para vocês como um alerta, não se pode nem confiar mais nem em crianças, eu aprendi que tenho que ser desumana se quiser continuar viva.
Fica aqui o alerta para todos.
Eu estou bem, muito abalada mas bem, alertem a todos os que puderem.

***

ÐäMå Ðë ÑëG®ö

Apenas uma mulher que já riu, amou, se entregou e chorou.
Escrevo o que sinto, como sinto quando sinto.
Longe, muito longe de ser uma poetisa sou apenas alguém que sente!

***

Beijos
Dama De Negro
Enviado por Dama De Negro em 07/05/2006
Reeditado em 07/05/2006
Código do texto: T152085

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dama De Negro
São Paulo - São Paulo - Brasil
1890 textos (146151 leituras)
2 e-livros (329 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:13)
Dama De Negro