Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HAJA PACIENCIA

Em muitas ocasiões, há que se ter paciência...
E muita...
Osculos e amplexos,
Marcial

HAJA PACIÊNCIA
Marcial Salaverry

Em tudo e por tudo, temos que fazer uso da paciência, que sempre é posta à prova a cada contrariedade que sofremos.  E estamos o dia inteiro sujeito a encontrar problemas pela frente.
Pode ser por encontrarmos um congestionamento no trânsito, que ocorre justamente quando temos um compromisso importante pela frente, que pode ser uma consulta médica, ou um chopinho com os amigos.  E justamente nesse momento, está tudo parado. Sem dúvida, um excelente teste para verificar os limites da paciência.  Mas, num caso desses, de que poderá adiantar perder-se a calma? O problema não se resolverá com nossa irritação.  Então devemos procurar poupar nossa adrenalina para casos realmente importantes.
Um excelente teste de paciência atualmente está sendo aturar os noticiários de televisão, que atualmente só falam das insanidades do Governo, de Big Brother, das irregularidades politicas, de quem apoia a guerra, de quem não a apóia, daqueles que querem a Paz, de previsões sobre o que o Governo poderá fazer, e coisas assim ...  Enfim... Fazer o que? Temos que ter paciência, ou então, desligar a televisão...
E a paciência vai sendo posta à prova, seja por circunstâncias de momento, como engarrafamentos de trânsito,  o elevador enguiçado quando precisamos subir 14 andares, o "apagão" na hora do banho quando estamos ensaboados, ou então quando vai ser batido "aquele" pênalti, o banheiro ocupado quando estamos enfrentando um momento crítico... Enfim, são tantos os problemas eventuais que podem surgir... Seja por circunstâncias definitivas, como a situação econômica do País...e nossa também...
Nesses casos, temos que ter aquela dose extra de paciência, pois desesperar-se nada vai resolver.  Nossa ira não vai solucionar o problema. Muito pelo contrário, apenas   poderá agravá-lo.  Então, mais vale respirar fundo e tentar controlar os ânimos.
Também existe outra e terrível fonte de problemas.  São pessoas que, ou por não terem a mesma dose de paciência, ou por maldade mesmo, tomam atitudes que nos são prejudiciais, ou que nos chateiam em demasia. A esse propósito e quase que por comunhão de idéias, minha amiga Fátima me enviou a seguinte mensagem de um garoto que ainda vai ser conhecido, o Dalai Lama   (meu amigo L'Inconnu está viajando...). Vejam se não tenho razão:
Olhe para a pessoa que lhe causa aborrecimento e tire proveito da oportunidade para controlar a própria ira e desenvolver a compaixão. Entretanto, se o aborrecimento for muito grande ou se você achar a pessoa tão desagradável que seja impossível agüentá-la, talvez seja melhor sair correndo! (Dalai Lama)
Realmente vem bem a propósito.  Quando estamos sendo aborrecidos ou atrapalhados por alguém, é quando precisamos testar aquele limite da paciência, que costumo definir como um "excelente teste para verificação exata da elasticidade do tecido testicular".
Muitas vezes  nos vemos objetos de críticas de pessoas que não concordam conosco, seja em que sentido for. Ora, de que nos valerá gastar tempo e saliva tentando argumentar com quem não parece ser razoável o bastante, uma daquelas pessoas que se julgam donos da verdade, considerando que sua opinião é abalizada, e todos deverão aceita-la. Se ele tem sua opinião formada, que fique com ela.  De nada nos servirá entrar em polêmicas. É melhor termos paciência, e deixa-lo ladrando no deserto.  Para que desgastar nossos limites de paciência?
Podemos simplesmente dar uma reavaliada em nossas atitudes,  para pesar melhor a situação, ao menos por um desencargo de consciência.  Quem sabe estamos mesmo errando? Afinal, não somos os donos da verdade...  E mesmo que estejamos certos, para que polemizar?
Deixemo-lo com  suas críticas... e que faça bom proveito. Logo as coisas tomarão seu rumo adequado.
Se alguém está exasperado, alguém precisará tentar controlar-se para que não vire cena de pastelão.
Todavia, ao repararmos que a coisa está começando a degringolar, é hora do sumiço  a que nosso querido Dalai aludiu acima. É bem mais prático fazer-se uma retirada estratégica do que insistir numa discussão que começa a tomar rumos perigosos.
Possivelmente mais tarde, de cabeça fria, se as pessoas forem inteligentes, tudo poderá ser acertado.  Ou não.  Mas sem brigas e discussões inúteis.  E muitas vezes o silêncio é a melhor resposta para insultos... Brigar... pra que? Haja... paciência.
Contando com a paciência de vocês, quero desejar UM LINDO DIA.



 
!
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 05/06/2005
Código do texto: T22343
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 78 anos
19867 textos (1963634 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:25)
Marcial Salaverry