Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

COMO CONTROLAR A RAIVA

Precisamos saber controlar nossa raiva,
para que ninguém fique com raiva de nós...
Osculos e amplexos,
Marcial

COMO CONTROLAR A RAIVA
Marcial Salaverry

Em primeiro lugar, vamos deixar claro que não tem nada a ver com a raiva transmitida pela mordida de um cachorro... Apenas muitas vezes, dá vontade de morder alguém... mas passa.
Recebi há algum tempo, um interessante artigo escrito por Elisabete Fernandes Almeida, importante escritora e editora médica, portanto uma opinião abalizada sobre o assunto, que nos diz que a raiva é um sentimento, que por vezes dá raiva de sentir, pois geralmente nos leva a atitudes irrefletidas, se não o soubermos controlar adequadamente. E haja auto controle, para nos segurar em determinados momentos.
Ocorre que muitas vezes, ao tentar controlar nossa raiva, acabamos por nos prejudicar, pois a famosa frase "engolir sapos" para definir certas coisas que somos obrigados a tolerar, por diversas razões, é absolutamente correta. Aliás, chega a ser mais fácil digerir o batráquio em questão, do que certas "patadas" que recebemos, ou até mesmo quando vemos pessoas sensíveis receberem. São coisas que ferem fundamente no mais recôndito de nossa alma.
Como ela diz em seu artigo, as mulheres normalmente procuram conter-se mais em extravasar sua raiva, possivelmente por receio de serem chamadas de "histéricas". É um fato, pois quando um homem tem uma explosão de raiva, é encarado como algo normal, pois ele "tinha que descarregar aquilo"... Já uma mulher ... Vão logo dizer que é distúrbio hormonal, ou que é por causa da idade. Por esse motivo então, elas procuram se controlar mais, e isso pode causar danos ao seu organismo. Enfim, o que será melhor? controlar, ou explodir? Passar por doido, ou por trouxa? Tudo depende das circunstâncias, e claro,  do objeto de nossa raiva.
Muitas vezes é melhor segurar-se no momento e depois, a sós, descarregar toda sua ira contra o espelho, contra um travesseiro, preferencialmente contra quem não possa reagir,  mas nunca contra alguém que nada tem a ver com a história, e apenas está por perto nesse momento.
Realmente, a raiva pode ser altamente negativa. Se extravasada, pode provocar uma série de reações. Se engolida, poderá prejudicar nosso organismo. Temos que saber administrá-la. Foi uma das falhas do Amigão quando manipulou aquele barro, pois deveria ter deixado um botãozinho liga e desliga...
Na realidade, a raiva sempre é útil, pois é provocada por algo que foi feito contra nós. Justa ou injustamente, alguém está tentando ou fazendo algo contra nós. Apenas temos que bem direcioná-la. Ao invés de explosões de temperamento, que sempre levam a discussões estéreis, o melhor caminho será parar para pensar. Vamos nos colocar na posição de nosso desafeto, tentando imaginar qual seria nossa reação se fossemos ele.
Assim, será mais fácil julgar o porque de sua ação, assim como será mais fácil saber que atitude tomar. Muitas vezes o melhor será esperar a cabeça esfriar, e tentar um diálogo para ver o que realmente ocorre. Podem existir muitos motivos. Muitas vezes uma informação mal interpretada, ou até mesmo algum terceiro tentando agir contra. Tudo é possível, portanto, vamos procurar descobrir o porque. Mesmo que afinal se descubra que a pessoa em questão está mesmo sendo inconseqüente, é melhor deixar prá lá, do que entrar numa polemica, que na maioria das vezes leva a lugar nenhum. Na Internet, o recomendável é usar a tecla Del, que evita muitos dissabores.
Ponderar... respirar bem fundo... entender que o momento de raiva foi um aviso de que algo poderia acontecer... e procurar acalmar o espírito. Muitas situações foram aclaradas assim, quando os primeiros e violentos ímpetos foram refreados.
Bem, resumindo a questão, e concordando inteiramente com a opinião de Elisabete Fernandes Almeida, a raiva é muito interessante, pois nos previne de que algo se trama contra nós. Se não tivéssemos detectado tal ação, seriamos fatalmente pegos de surpresa, e seria mais difícil uma reação. Contudo, devemos saber entender o porque dessa raiva, e controlá-la, pois como toda ação violenta pode gerar uma reação tão ou mais violenta, a crise poderá crescer até ficar totalmente fora de controle. Muitas guerras começaram, assim...
Assim, segurando a reação raivosa, procurando "sentir" melhor a situação, poderemos melhor contorná-la, ou mesmo esquecê-la. O bom senso nunca representa uma derrota. E não existe essa de quem levou a melhor numa discussão. Muitas vezes aquele que ficou quieto, acaba colhendo melhor os frutos de sua atitude.
Para que ninguém fique com raiva, desejo a todos, sem exceção alguma, UM LINDO DIA.
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 21/06/2005
Código do texto: T26575
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19856 textos (1962849 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 01:59)
Marcial Salaverry