Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MULHER DE VIDA (nada) FÁCIL

Sou aquela que não tem horário,
Que tem encontros furtivos
Na calada da noite, me esgueirando
Pelos escuros dos muros, por trás das árvores.

Sou aquela que não pode pedir nada,
Que nada tem que possa dizer: é meu!
Que aluga seu corpo sem pedir licença ao coração,
Já que este a muito não é seu.

Sou aquela que por trás da maquiagem impecável
Tem na face um borrão,
Com lágrimas que mancham o rouge,
E escorrem, sujando todo batom.

Sou aquela a quem nunca chamam de amor ou flor,
Que chamam de filha sem mãe,
Que agridem sem saber porque,
Depois de urrarem de prazer.

Sou aquela que travestida de feliz
Faz a felicidade alheia,
Mas que um dia morre, infeliz,
Vivendo, sem sequer existir.



Claudia Nunes
13/09/2005
Claudia Nunes da Silva
Enviado por Claudia Nunes da Silva em 28/11/2006
Código do texto: T303395

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Claudia Nunes Ribeiro - www.recantodasletras.com.br/autores/claudianunes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Claudia Nunes da Silva
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 48 anos
393 textos (131764 leituras)
9 áudios (5329 audições)
6 e-livros (3813 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:13)
Claudia Nunes da Silva