Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HOMENAGEM A EPITÁFIO

  Esta é uma interpretação pessoal da maravilhosa letra escrita por Sergio Britto, interpretada pelos Titãs, que na minha opinião, reflete nosso automatismo.
Tento aqui, expressar as sensações que ele me passa, e coloco aqui meus comentários.
São os versos desta canção que descrevem aquilo que não fazemos, pois estamos sempre ocupados com alguma coisa, do que cuidar da nossa vida interior.
Aí vamos embora e só nos resta o epitáfio:
*??/??/?? +??/??/??
Já não há mais chance para nada, apenas para a decomposição de uma composição em descompasso.

FERNANDA PIETRA
--------------------------------------------------------------------------------------------
Epitáfio
SERGIO BRITTO


”Devia ter amado mais”
Deixamos de expressar nosso amor

”Ter chorado mais”
E não mostramos ‘as pessoas nossas emoções

”Ter visto o sol nascer”
Perdemos a oportunidade de ver esse espetáculo diário e aprender a nascer todos os dias

”Devia ter arriscado mais”
Aí, ficamos com medo e não saímos dos nossos lugares, pois parece perigoso, porém, mais perigoso é ficarmos estagnados.

”E até errado mais”
Errar é difícil de aceitar, mas se não erramos, não evoluímos.

”Ter feito o que eu queria fazer”
Quando não fazemos o que queremos, dá aquela sensação horrível de fracasso. É melhor nos arrepender do que fizemos.

”Queria ter aceitado as pessoas como elas são”
A dificuldade em aceitar o outro, reside no fato de não nos conhecermos. Como aceitar o outro se não me aceito?

”Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração”
São as histórias que vivemos, deixando marcas em nossa essência, ora com alegria, ora com  tristeza, pois todos  passamos por isso.
A alegria, todos conseguem “mensurar”, mas a dor, é subjetiva. Soquem a sente pode dizer sua intensidade.

”O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído “
Pois flutuamos num espaço que não temos domínio algum, e distraidamente, deixamos de viver.

”O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...”
Enquanto pudermos ter consciência de que somos seres num universo por nós desconhecido.

”Devia ter complicado menos”
É difícil acreditar que os fatos não são tão cruéis como julgamos sê-los.

”Trabalhado menos”
Trabalhar é fundamental, mas torna-se um inimigo quando nele mergulhamos, de maneira que nos afogue. Não percebemos que anoitece, e o Sol brilha, sem a permissão do nosso chefe.

”Devia ter visto o sol se pôr”
O espetáculo da vida, indo iluminar a outra metade desse mundo tão pequeno.

”Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos”
Assim poderíamos viver a simplicidade

”Ter morrido de amor”
A doce morte de valores inúteis quando o amor aparece e nos damos a chance de saboreá-lo.

”Queria ter aceitado a vida como ela é”
Simplesmente aceita-la e vive-la.

”A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier”
Caberá a cada um de nós optar por ser eternamente amargurados, ou lançar-se de cabeça para conquistar a alegria .

”O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...
Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se por"














Fernanda Pietragalla
Enviado por Fernanda Pietragalla em 01/02/2005
Reeditado em 01/02/2005
Código do texto: T3204

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Fernanda Pietra www.fernandapietra.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Fernanda Pietragalla
São Paulo - São Paulo - Brasil, 48 anos
126 textos (24225 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/09/16 17:55)
Fernanda Pietragalla

Site do Escritor