Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Não supor-me nunca

Não supor-me nunca, nem em sonhos
ousar, um gesto sequer, esquecer-me
completamente de caminhos, estradas,
ser só o que escreve eternamente;
 Mas ah, sou tantos num que tem vezes que me
esqueço, de ser só esse um, que vai
dentro de mim, manifestamente pouco
para tanto sentir... mas, ainda assim, digno
de existir (e quem sou eu para me julgar,
certo ou errado?)
  No seu caminho de casa vai aquele homem,
vindo dos afazeres diários,
compenetra-se no passo largo ou na sombra,
que visa mais adiante, quem dera ser
esse que caminha, rumo a casa, levando
a sombra consigo, no bolsilho de um casaco.

Jorge Humberto
16/02/05
Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 22/02/2005
Código do texto: T4910
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 50 anos
2622 textos (66675 leituras)
22 áudios (937 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 10:09)
Jorge Humberto