Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BEM VINDO?



Bem vindo peregrino das estrelas, se és de paz,  a esta nave-planeta chamada Terra.
Não se acanhe, desça, somos de paz ou deveríamos todos sê-lo.
Bem, não receie, está entre iguais.
Será?
Veja, a geografia daqui é um primor...,um tanto quanto maltratada, sabe?
Nós humanos somos paradoxais, ambíguos até: uns bons demais...outros, melhor deixar pra comentar depois, senão você vai embarcar de volta no seu disco e sumir.
Há maravilhas aqui, ainda, pra se ver, cuidar e amar.
Também tem gente que vale a pena conhecer.
De onde você vem, peregrino, traz boas lembranças? Tem pra onde retornar ou vagueia buscando um lugar pra ser seu?
Conte-me o que viu em tantas andanças pelas galáxias por aí?
Oras, que falta minha, não te convidei a tomar algo, comer alguma coisa, está servido?
Afinal, o que come ou bebe? Dizem por aí que ets não existem, mas você é a prova e contraprova não é?
Ah, visitante, como eu queria poder mostrar só belezas, e rios puros e florestas ainda virgens, e oceanos limpos, e geleiras imaculadas debaixo deste céu azul...
Queria que você conhecesse pessoas humanas, e sociedades humanizadas, crianças, jovens e adultos, cuidando da flora e fauna para ser algo de se ter pra sempre.
Lamento, estamos em guerra, isso é quase natural entre os homens, por egoísmo, sabe?
Crianças seculares que matam e ferem uns aos outros até hoje, pobre da nossa espécie, auto-condenada a extinção depois de exaurir a própria casa que a abriga e nutre.
Perdão, não queria assustar você com um relato pessimista ou fatalista de nosso planeta, na verdade, penso que ainda pode haver salvação, difícil, mas não impossível, antes da total e irreversível aniquilação.
Ainda assim, dou-lhe as boas vindas... mas, penso que só em meu nome, não me é lícito responder pelos outros e você compreende, nossa raça tende a ver com desconfiança tudo aquilo que não compreende, podem por medo fazer algum mal a tão inusitado visitante.
Pensando bem, peregrino das estrelas, siga meu conselho, embarque na sua nave e siga seu caminho. Meus irmãos humanos talvez sejam por demais humanos, melhor que sejam deixados a sua própria sorte e escolhas.
Então, além de bem vindo, dou-lhe adeus.
Não me leve a mal, mas justo pelo seu bem, e talvez nosso, parta.
Quem sabe um dia, poderá lembrar desse planeta azul e contar historias do que aqui viu,
enquanto ainda existia, e era belo, e valia uma vida ou mais, viver-se nele.
Siga em paz,
boa viagem peregrino.
Liane Furiatti
Enviado por Liane Furiatti em 01/09/2007
Código do texto: T633941
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre a autora
Liane Furiatti
Curitiba - Paraná - Brasil
779 textos (36013 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 06:30)
Liane Furiatti