Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ADA

Furada, mancada, roubada, qualquer coisa que termina com ada.
Na parábola “O Filho Pródigo” conta que o rapaz deixa seu lar, com muito dinheiro sai para gozar dos prazeres da vida, faz muitos amigos, vive a prostituição e se entrega, exagera, gasta tudo, até que percebe que foram momentos de ilusão, onde estão seus amigos agora? Com a dificuldade experimenta e reconhece que tinha tudo em casa, amor, afeto, carinho, compreende que decepcionou seus entes queridos, foi egoísta e tentou com sua saída buscar felicidade que já existia, mas que ele não admitia, precisou arriscar e buscar um desafio para ter a certeza de que estava tudo próximo dele, assim, cresceu, amadureceu e retornou, dessa vez, agradecido e arrependido da sua atitude. Seu pai, sábio, o acolhe e promove uma festa comemorando a sua volta. Seu irmão que ficou com a família, trabalhando e colaborando, não entende porque seu pai dá um tratamento tão especial ao seu irmão depois dele ter aprontado tudo isso. É um conto muito interessante e nos dá uma lição, basta que façamos uma profunda reflexão. Melhor que ler, ouvir ou saber dessa passagem é realmente viver algo semelhante.
Eu não tenho dúvidas, nós não sabemos tudo, estamos sempre, a cada dia, aprendendo novas coisas e para cada um, o valor que se extrai de uma experiência é diferente. Vejo de tudo a cada momento, pessoas terroristas, sem escrúpulos, geralmente aparentam ser do bem, são bondosas, generosas, educadas e com consciência, planejam e perseguem até derrotar seu inimigo. Outras que se sujeitam e são coniventes a situações que ferem a ética, agem assim em causa própria, defendendo seus interesses particulares.
É fácil apontar defeitos nos outros, por isso, não me excluo, tenho consciência de que também tenho deficiências. Aí entra a parábola do Filho Pródigo, quem é você? O filho que saiu? O filho que ficou? O pai? Se você saiu, aprendeu e hoje reconhece valorizando muito mais todos e tudo que tinha. Se você ficou talvez se comporte como na história, por egoísmo não entende porque o pai comemora a volta do filho que saiu de casa, gastou toda a grana, aprontou etc. Se você é o pai vai ter uma visão mais ampla, compreenderá ambos os filhos e conduzirá a situação de uma maneira coerente, até porque antes de ser pai você também já foi filho.
Aprendi que sou mal agradecido, quantas vezes me comportei como um babacão, defendi posições com uma visão míope, declarei guerra por achar que havia intruso no meu território, desperdicei tempo para me defender, via companheiros como adversários, tudo isso me estressou, me cansou e me levou a sair por aí, o que foi muito bom, agora entendo e até com vergonha reconheço como somos ingênuos.

Agradeço muito por essa oportunidade, em tão pouco tempo cresci, aprendi e acumulei experiências fantásticas. Está em nós a solução, a liberdade é fundamental, não devemos nos acovardar e participar daquilo que entendemos contrariar nossa índole. Sou feliz e nada vai atrapalhar esse meu sentimento, aliás, nada também termina com ada.

vladis.fernan@globo.com
Vladis
Enviado por Vladis em 14/10/2007
Código do texto: T693967
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vladis
Matão - São Paulo - Brasil, 58 anos
143 textos (69731 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 23:30)
Vladis