Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Todos nós temos necessidade de afeto.
Muitas vezes temos dificuldade em expressar
o que sentimos pelas pessoas,
achamos que elas sabem e que isso é suficiente.

Mas quem não gosta de um abraço,
um carinho, uma palavra amiga,
uma palavra de amor? Quem não precisa disso?
Há pessoas morrendo de fome no mundo,
todos falam,
mas quantas pessoas há que estão morrendo
de solidão?

Recebemos com muita freqüência mensagens
dizendo que devemos dizer às pessoas
o quanto as amamos porque nunca sabemos
se é a última vez que as estamos vendo.
Isso é para aliviar nossa consciência no caso das pessoas desaparecerem repentinamente.

Mas eu digo que devemos dizer às pessoas
que as amamos como se fôssemos
encontrá-las na manhã seguinte,
como se fôssemos encontrar um sorriso de volta,
ou ver um brilho todo especial
provocado por nós.

Um dos maiores prazeres da vida é ver
a felicidade das pessoas que amamos.
Há alguns anos escrevi uma frase para
uma das minhas amigas num momento
em que ela não estava bem.
Essa frase dizia assim:
"Não fique triste.
Se você fica triste, fico triste.
E eu não gosto de me ver triste..."
Ela sorriu.
E nessa frase aparentemente egoísta
eu acabei dizendo uma grande verdade.
Sim,
porque no fundo se não fazemos as pessoas
felizes por elas mesmas,
que as façamos então por nós mesmos.

Podemos saber que alguém nos ama e isso
nos deixa felizes,
mas como expressar o tamanho da
felicidade que sentimos quando alguém
coloca isso em palavras, em gestos?
Isso faz com que nos sintamos amados em dobro,
em triplo até.

Assim, é importante que as pessoas saibam
o quanto importantes são nas nossas vidas,
o quanto nosso dia pode ficar iluminado
com um sorriso ou um gesto inesperado.
E luz é algo que quando carregamos nas mãos,
além de iluminar aqueles que nos cruzam,
iluminam a nós também.

Todo o amor que damos às pessoas,
recebemos de volta como uma recompensa natural. Saber que alguém pensa na gente,
que nos gosta apesar da distância,
do mal-humor, dos nossos defeitos,
enche a alma de paz, de serenidade...
É como um pouco de ar fresco numa janela
quando precisamos respirar.
Renova o espírito!
E de espírito renovado como o dia pode
ficar diferente,
como o mundo pode parecer diferente!...

Essa é minha pequena lição.
Não a que dei, mas a que aprendi.

* Letícia Thompson *
www.leticiathompson.net 

Colaboração de: Florzinha
Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 15/01/2006
Código do texto: T99142
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Edvaldo Rosa
São Paulo - São Paulo - Brasil, 55 anos
1727 textos (173768 leituras)
23 áudios (10650 audições)
35 e-livros (8978 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:36)
Edvaldo Rosa

Site do Escritor