Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SAL DO AGRADECIMENTO

(para Yasmin, webmaster do sítio de escritores que leva o seu nome)

Amada, me fizeste chorar frente ao computador! Tudo tão bonito, e meus tão solitários versos imantados de arte e sedas no milagre da virtualidade. Talvez eles mereçam esta voltinha pelo Oriente.

Tudo neste mundo se move e eles precisam andar, cumprir suas sinas buscando aleluias.

Ainda bem que disseram ao guri pobre que só a leitura propiciava grandes viagens!

Estou aqui, bobo, vendo som e imagem enchendo as retinas de beleza, rememorando o Arroio da Infância, em cujas limosas margens ovos cor-de-rosa e girinos restaram perdidos no leito de areia suja.

Aliás, as rãs sempre me impressionavam. Parecia que tinham asas, alguma trampa com o Demo as impulsionava. Catapultavam-se ao menor sinal de aproximação de alguém. No entanto, ficavam a encantar insetos.

A desforra vinha das cobras, que as enfeitiçavam a ponto de babarem o medo.

— Como se imaginar um sapo voador não saber fugir a tempo?

Ali começava o aprendizado dos segredos. Era preciso parar pra observar.
Aprendi muito também com as lagostas de água doce. Espadanavam cola e corpo atirando-se para trás na corrente do aquário fétido. Era a sua autodefesa.

Eu ainda não conhecera o medo nem a luta pra buscar o alimento de sobrevivência. Costumava desenhar na areia toldada um imenso coração só pra retratar o amor vivo que me parecia eterno.

Mas foi o bastante pra saber que aprendera a rarefeita mania de embrulhar a felicidade nas folhas de agrião que iriam à mesa dos catadores e outros excluídos. Memórias de sol, suor e chuvas.

É bom ser feliz por osmose. Garatujar-se a lágrima, o sal do agradecimento.

- do livro inédito DE QUANDO O CORAÇÃO ABRE A CORDEONA, 1978 / 2006.
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 08/03/2006
Reeditado em 18/07/2009
Código do texto: T120658
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709611 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 08:07)
Joaquim Moncks