Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

um polinómio

1
cá estou eu
a ler os poemas
que escrevo sempre

como se viesse
da nascente do riso

para um rio de felicidade

2
mergulho nu
no silêncio da fala
onde o pensamento corre

transformo-me
na forma do conteúdo

e, contudo, sou sempre eu

3
até tocar
teus cabelos
soltos ao vento

deste momento
breve e feliz todo

como poema que quis!

(Assina:) Assim

{A minha sina é desenvolver o polinómio, o Binómio de Newton; como escreveu Pessoa, «o binómio de Newton é tão belo como a Vénus de Milo».
Isto começou quando li...
«Faço minhas palavras da amiga Camila: que tal um despir ou vestir as meninas no áudio que o recanto abriga? Eu tb irei adorar! bjs na alma, Gio Amor»
Depois de escrever o poema, escrevo ainda...
Acabo de despir as palavras duma amiga; encontro a voz, como vós, que aqui me venham ouvir, ou ali... me venham ler, ver... lerei.}
Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 29/07/2006
Código do texto: T204834

Áudio
um polinómio - Francisco Coimbra
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310479 leituras)
37 áudios (39564 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:46)
Francisco Coimbra