Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POR QUE AS PESSOAS NOS USAM

Parece sarcástico ou uma metáfora, mas não é. Por mais difícil que seja de acreditar é verdade. Faço essa reflexão com você, a partir de algo que pude experienciar. Depois de dias, tentando entender melhor o acontecido, então resolvi escrever. Ver o que Deus fala a partir disso tudo. Parece não ser verdade, mas aconteceu. Não só milagres acontecem, absurdos também!

Sempre costumo citar essa frase: As pessoas nos surpreendem a cada instante em que vivemos com elas. Agora digo a mesma frase complementada: As pessoas nos surpreendem a cada instante e mudam a cada momento. O que será que elas querem?

Quando conhecemos alguém, costuma-se não dar muita atenção ao que os outros falam desta pessoa. A melhor forma é nós mesmos conhecermos a pessoa e ir descobrindo quem ela é verdadeiramente. É chato se aproximar de uma pessoa com pré-conceitos elaborados. Assim não damos chances para que a pessoa se mostre como ela é.

A primeira imagens, impressão é a que fica, é geralmente a mais bonita. Ela marca a pessoa em nós. Quando lembramos da pessoa lembramos da primeira impressão.

Muitas pessoas, não todas, usam da boa imagem, da boa impressão com outras intenções. Se aproximam de nós com rapidez e facilidade parecendo as melhores e maiores amigas. Nos ouvem, nos aconselham, sorriem e brincam conosco, nos fazem rir e se divertem com a nossa companhia. Mas o coração delas... onde será que está?

Aproveitam-se da nossa inocência ou ignorância para tirar proveito. No momento você é a melhor pessoa do mundo para ela. Precisando de algo, ela recorre à você. Tudo é lindo, maravilhoso. Mas...

Ai passam-se alguns dias ou semanas e de repente você se depara diante de uma situação complicada, afinal não és de “ferro”. Então você recorre com toda confiança à esta pessoa que assim como você a ajudou, tem a certeza que ela te ajudará. Ai então você liga para ela, na intenção de marcar uma hora para tomar um suco ou um café  poder conversar e desabafar. Você vai na frente do espelho ensaiar o que vai dizer. Pensa com carinho num horário e liga para o seu novo e “grande amigo”.
- Alô!
- Alô!
- Tudo bem?
- Tudo!
- Podemos sair pra tomar um suco e conversar?
- Quando?
- Amanhã às 14:00 h, se você puder, é claro.
- Ba... Amanhã não posso.
- Quando você pode, então?
- Olha, não sei. Nessa semana estou muito ocupado...
- Então ta. Quando você puder me ligue, pode ser?
- Pode!
- Estão está bem. Tchau! Um abraço.
- Tchau!

Passa a semana e nada de retorno. Você, confiante na pessoa, liga de novo e ela responde que não pode. Ai pensa: “Poxa vida!” Li naquela mensagem que recebi de uma outra pessoa, que nem conheço pessoalmente ainda, que os amigos caminham sempre conosco. Nossos passos são seus passos. Quando caímos, ele nos levanta; quando choramos ele nos consola; quando falamos, ele nos ouve; quando calamos, ele fala; quando estamos feridos, ele nos carrega nas mãos... e assim vai (“não lembro o resto no momento”). E agora? Essa mensagem é verdadeira ou não? Será que essas coisas realmente acontecem ou isso é narrativa de um conto de fadas?

Aprendi com meus pais a confiar nas pessoas e que com os sentimentos dos outros não se brinca. Se outra pessoa chora eu deveria consolar, chorar junto ou me calar. Rir é muito feio. Mas, de repente, a pessoa que me chamara de amigo, que ligava para mim toda semana querendo saber se eu estava bem, não mais se importa comigo. O que será que está acontecendo?

Mais uma tentativa. Vai ver que naquele dia a pessoa esta muito ocupada ou um pouco triste. Também é humano e pode vir a sofrer. Meus sentimentos e pressentimentos apontavam que alguma coisa estava errada, porém, a minha razão dizia, ou me fazia crer que não. Tentei mais uma vez. Ai então tudo o que acreditava caiu por terra. Os pressentimentos se confirmaram. O que meus pais me falaram e ensinaram perdeu sentido. Aquela mensagem, ah... aquela mensagem deve ser coisa de quem não tem o que fazer e escreve estas coisas... a minha razão bate palmas e diz: Eu tentei te avisar...

O mundo desaba. As crenças que me sustentam parece invalidar-se. A vida, por um momento perde o sentido. As lágrimas começam a rolar no rosto ainda que tento me conter. Ai a dura e cruel realidade ganha forças: Pessoas nos usam... Mas por que, meu Deus? É a pergunta que fala mais alto. Onde foi que errei? Por que tem que ser assim? Por que tem que ser comigo? Ai, depois de algumas horas vem a lembrança do que um dia me disseram: “As pessoas não prestam. Ou você usa elas ou elas usam você”. Viu! É verdade! Do que adianta acreditar nas pessoas... O mundo escurece...

Dormir não consigo. De comer, não tenho vontade. Toda hora me vem o pensamento: Meu Deus, por que isso? Por que as pessoas fazem isso? Por que elas são assim?

Agora a melhor coisa a ser feita é silenciar. Deixar o tempo passar um pouco. Suportar a dor e erguer a cabeça, pois a vida continua. Foi apenas uma queda. O propósito do momento é mudar e não confiar nas pessoas... Deixa o tempo passar... Ele é o melhor remédio para cicatrizar as chagas abertas...

O tempo passa tão devagar. Esquecer parece impossível. Continuar acreditando na sinceridade das pessoas e na amizade parece impossível. Tudo o que construímos há anos, desaba, porque você acredita com o coração e com a razão.

Que experiência... Como dói. Daria uma eternidade para não experimentar, mas sou humano e estou sujeito à isso. Também sinto, choro, sorrio, canto, brinco, pulo, caio...

Mas Deus é Pai e mesmo com tanta dor Ele faz acontecer maravilhas. Agora, depois de alguns dias esse triste acontecimento faz gerar reflexões sobre a vida, a amizade, seu valor. Digo com mais força do que antes: Pessoas humanas fazem bem ao nosso coração (isso merece um outro texto). Uma verdadeira amizade vale a pena.

Tudo parece um conto de fadas ou uma história irreal, de filmes Norte Americanos, mas não é. É apenas uma história de alguém que poucos conhecem, mas que vive, sente, é humano. Neste mesmo momento, Deus enviou muitos Amigos e amigas (anjos) para me ajudar. Um abraço especial a amiga Iara. Que bom. Se de um lado sentimos a dor, de outro sentimos a mão que nos consola, acolhe, perdoa, afaga. A dor nunca é maior que nossas forças. Deus não nos abandona ainda que caiamos e parece que não há mais razão para continuar caminhando.
Hermes José Novakoski
Enviado por Hermes José Novakoski em 25/07/2005
Reeditado em 25/07/2005
Código do texto: T37656
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Hermes José Novakoski
Marituba - Pará - Brasil, 35 anos
477 textos (375486 leituras)
1 áudios (83 audições)
2 e-livros (440 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 19:50)
Hermes José Novakoski