Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ana Rita

No leito o corpo frágil de criança indefesa, que luta pela vida, quer a vida, mas não consegue mais reagir.
Não tem mais motora, perdeu já a visão
Poucos momentos de retorno de sua viagem a pouco iniciada
Mostra em seus olhos a expressão do medo
Da insegurança do que irá lá encontrar.

Descansa, minha menina
Nossos irmãos, aqui já estão e no momento certo que atravessares as paredes desta cela que te prende
Te levaram ao infinito, não haverá lá mais gritos
De dor e padecimento
Não restará mais nenhum lamento teu ou de qualquer outro que esteja perto, não verás mais a tristeza...
Te esquecera com certeza do que a  EM fez com teu viver.

Lá encontraras a família, avós tios ou tias
Que já partiram e cuidam do teu lugar
Enquanto isso, eu aqui fico contigo
Balbuciando aos teus ouvidos palavras de consolo e amor
Para esta bonita borboleta que saíra de seu casulo
E enfeitara com suas asas multicoloridas, o jardim do nosso senhor.....
Wanda Ayala
Enviado por Wanda Ayala em 30/07/2005
Código do texto: T39049

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Wanda Ayala-www.recantodasletras,.uol.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Wanda Ayala
Portugal
425 textos (36702 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 11:12)
Wanda Ayala