Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O POEMA BÊBADO

(para Erode Lino Leite, escriba de Campo Grande/MS)

Cuide-se o poeta com a excessiva abstração. A par de ser o poema uma abstração enquanto Arte, os temários abordados têm de beirar o real, chafurdar-se na lama, tomar-se de chuva e de sol. Banhar-se de vida.

Tentei, dia desses, a definição do poema. Deu no seguinte: poema é um bêbado carregado, roçando a ponta dos pés no chão, ora sim, ora não! O dedão grande sangra, os outros se encolhem.O hálito dele é a respiração do mundo, arfante como todos que desejam viver!

Vês? O teu grito de amor fez, em minha cabeça, o intertexto. Piradão, mas algo palpável. Vês, até tomou forma de verdade quase nua!

E se vai banhar no mar aberto das angústias fugidas, numa pequenina e frágil prancha de surfe... E se some, para além da arrebentação marinha... Parece uma formiga preta de neopreno, deitada sobre um casco de branca tartaruga!

A poesia sempre surpreende!

– Do livro CONFESSIONÁRIO - Diálogos entre a Prosa e a Poesia, 2006.
http://www.recantodasletras.com.br/mensagensdeamizade/84684
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 12/12/2005
Reeditado em 11/09/2008
Código do texto: T84684
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709651 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 11:01)
Joaquim Moncks