Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quando me amei de verdade

Quando me amei de verdade, pude compreender que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa. Então pude relaxar.
Quando me amei de verdade, pude perceber que o sofrimento emocional é o sinal que estou indo contra minha verdade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo que acontece contribui para o meu crescimento.
Quando me amei de verdade comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma coisa ou alguém que não quer o mesmo que eu QUERO.
Quando me amei de verdade, comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável.
Isso quer dizer pessoas, tarefas, crenças e qualquer coisa que me pusesse para baixo. Minha razão chamou isso de egoísmo, mas hoje eu sei que é Amor próprio. Quando me amei de verdade deixei de temer meu tempo livre e desisti de confiar tanto e fazer planos. Hoje, faço o que acho certo no meu própio ritmo como isso é bom.
Quando me amei de verdade desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar tanto com o futuro. Isso me mantém no presente, que é aonde a vida acontece.
Quando eu me amei de verdade, parei de pensar o que os outros pensavam de mim.
E COMECEI A VIVER DE VERDADE!


Colaboração recebida de: Cinde x Neyla Medici por email
Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 02/03/2006
Código do texto: T117846
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Edvaldo Rosa
São Paulo - São Paulo - Brasil, 55 anos
1727 textos (173752 leituras)
23 áudios (10649 audições)
35 e-livros (8978 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:45)
Edvaldo Rosa

Site do Escritor