Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESTAMOS NA MATURIDADE... e daí?


A tão desejada e temida maturidade... Vamos a ela...
E a suas consequencias...
Osculos e amplexos,
Marcial

ESTAMOS NA MATURIDADE... e daí?
Marcial Salaverry
 
Claro é que, quando  chegamos à maturidade, já passamos por um bocado de experiências, algumas boas, outras nem tanto, já demos algumas cabeçadas... Deveríamos ter aprendido algo com o que foi vivido. Porém, nem sempre é o que acontece.  Podemos dizer que nem sempre essas muitas lições são assimiladas... Nem todos aprenderam a analisar sobre os erros cometidos, para evitar repeti-los.
Um dos pontos onde as lições da vida não são captadas mesmo, é no que diz respeito ao ponto mais delicado, ou seja, os relacionamentos familiares.
Muitas vezes permitimos que um relacionamento de toda uma vida se deteriore no fim da caminhada, quando bastaria compreensão, afeto, companheirismo, ponderação para continuar vivendo juntos.
É muito triste ver como casais se separam após 30, 40 ou mais anos de uma vida em comum.
O que poderá estar acontecendo, para que todo um passado, toda uma vida seja posta de lado? Que problemas podem estar acontecendo que apenas agora, divergências sejam descobertas?
Cada caso é um caso. Mas que todos merecem uma certa reflexão, é fato. Ainda mais que um comentário que se escuta é que “sempre vivemos bem... mas agora não dá mais”... o interessante, é que muitas vezes continuam amigos... mas a convivência não dá mais...
A respeito do assunto, vejam o poema de autoria de Ana Soares de Miranda:
Maturidade  -
Ana Soares Miranda
Quero o calor da lareira, sempre acesa;
a rotina do canto do bem-te-vi.
Quero toda manhã
a mesma flor e olor.
Quero dizer, sorrindo:
- Bom, você estar aqui!
Beijando sempre a mesma boca,
descobrir novos sabores do beijar;
abraçando o mesmo corpo,
novas maneiras de abraçar.
Caminhando ao lado dele,
descobrir um jeito novo no seu caminhar;
prometendo todos os dias:
" Para sempre, eu vou te amar!"
 
Aí está o segredo para um relacionamento feliz.  Sempre procurando sentir algo de novo fazendo as mesmas coisas. Algo como o ovo de Colombo.  Sempre procurando buscar o lado bom das coisas, e à frase que ela cita “Para sempre, eu vou te amar!” acrescentaria a frase que mais gosto, qual seja: “Te amo hoje, mais do que ontem... menos do que amanhã...”.
Claro que para obter-se tal resultado, é necessário que as duas partes colaborem. Nada pode ser conseguido unilateralmente. Acredito que nessa altura da vida, poderá ainda ser mais fácil obter-se um bom entendimento.
Basta um exercício de memória. Afinal sempre tiveram bons momentos juntos... Por que não relembrá-los?  Por que não repeti-los? Terminar juntos a caminhada que começaram e que fizeram lado a lado tanto tempo... Por que rumos diferentes nesta altura da vida?  É preciso sempre analisar bem o que acontece.  Por vezes, é a única solução possível para que se possa tomar um rumo certo na vida. Mas por vezes não é bem assim.  É só uma questão de se pensar, e conversar... dialogar.
Também é importante a criatividade a que nossa poeta se refere, ou seja fazer as mesmas coisas de uma nova maneira. Se o sexo perdeu o interesse, por ter caído naquela mesmice, vamos inovar... fazer coisas diferentes... pensar em fantasias antigas... inovar o se fazia mecanicamente pode dar resultados incríveis.
É hora de buscar as coisas boas da vida. Pensem nisso.
E para ajudar, é importante que hoje, todos tenhamos UM LINDO DIA.
 
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 24/04/2005
Código do texto: T12808
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19856 textos (1962831 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:29)
Marcial Salaverry