Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Recordações

O que vejo talvez seja difuso. Uma névoa esconde meu lamento.
Envergo assim, meu pensamento e saio de mim, quando corro em busca do que fomos antes.
E assim, vamos caminhando por estradas paralelas.
De relance vejo tua figura na madrugada.Tua voz me acorda nas manhãs frias de Domingo.
Tu ainda me segues!
Uma vez ou outra, minhas mãos tateiam procurando as tuas.Meus olhos avistam ainda os teus.
Oscilo assim entre o delírio e a lucidez.
O querer e o desprezar.
Tenho guardadao comigo todos os pergaminhos que esboçaram nossa vontade.
Desencontro-me e deixo algumas vezes, as lágrimas inundarem a minha alma.
Percebe-me então, infiltrada, acorrentada a um sentimento que não finda.
Ouço as vozes que me rodeiam pela noite adentro.
Canções que definiam ou expressavam uma relação bonita.
De repente, as cartas se embaralham e difícil fica desvendar os rostos que surgem, e dão assim continuidade a minha história, mas és ainda o grande amor da minha vida.
MariSaes
Enviado por MariSaes em 28/07/2006
Reeditado em 28/07/2006
Código do texto: T203744

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o sitedoautor.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
MariSaes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1694 textos (65126 leituras)
2 e-livros (52 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:46)
MariSaes