Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amava-o  muito...

Amava-o como podia, como ele  se permitia amar...

Amava-o  em versos e poesias, em rimas de amor e dor.

Beijava-lhe a boca sem conhecer-lhe o gosto

Abraçava-se a seu corpo que jamais sentira

Fazia amor com ele em doces palavras,

Declarava-lhe todo meu amor...

Mas o vazio da sua ausência

Provocaram-lhe uma estranha melancolia

Que acabou turvando-lhe os sonhos

E obrigando-a   a despertar. 

Era  maravilhoso sim, o seu doce amor! 

Adivinhava nele, o amante gentil, mas ardoroso...

Era um amigo carinhoso e um poeta encantador...

Mas ela guardaria consigo,

Apenas as lembranças do que foi, sem jamais ter sido.

Guardaria  em meu peito,

As recordações mais belas da sua existência...

Momentos de ternura, e as lágrimas que derramaram juntos.

Se algo lamentava, é que não tivessem  sabido reconhecer

A imensidão do que viviam

E terem  permitido que a poesia de amor

Permanecesse inacabada,

Porque a rima perfeita, (tão sonhada) jamais existiu... 








Carinhosa
Enviado por Carinhosa em 29/07/2006
Reeditado em 02/05/2013
Código do texto: T204922
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Carinhosa
Curitiba - Paraná - Brasil
657 textos (164696 leituras)
3 e-livros (397 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:52)
Carinhosa