Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NAMORAR É BOM DEMAIS

EDITORIAL
 
NAMORAR... é bom demais Marcial Salaverry


Bem... fui olhar o dicionário para ver o que é "Namorar". Tem tantas definições, quer dizer tanta coisa, que prefiro ficar com a melhor definição que existe para se saber o que é namorar: NAMORAR É BOM DEMAIS!!!

Namorar é aquele romance sem compromisso, serve para que os parceiros se conheçam melhor. Para ver se pode existir a possibilidade de um futuro entre ambos.

O namoro evoluiu muito com o tempo. Já houve tempo em que a jovem ficava romanticamente na janela, e seu enamorado (lindo o termo) fazia-lhe lindas serenatas. Época essencialmente romântica. Quando o rapaz conseguia tocar nas mãos da jovem... era uma glória. Se chegasse a ver-lhe os pés então...

Depois, veio aquele namoro em que já era permitido pegar-se nas mãos... conseguia-se até roubar um beijinho. Emoção suprema. Um beijinho à socapa. Se o papai ou a mamãe vissem... Era a época em que se dizia que "beijo na boca dá sapinho". Garanto que não dava...

Com a evolução rápida do tempo, logo chegou-se a um estágio mais avançado. Já se permitia que o romântico casalzinho saísse sem ter de levar o irmão menor para ir ao cinema. Ou mesmo um passeio diferente.

Era aquele namoro em que um casal mais "avançadinho" (era assim que se dizia na época), já se permitia trocar beijos no portão, para escândalo da vizinhança.

Sexo? O que era isso? Nem falar. A virgindade (da moça) era ponto crucial para um casamento. Bem que os rapazes insistiam na famosa "prova de amor"... Mas uma moça que se prezasse, resistia até às últimas consequências... senão poderia ficar "falada".

Depois os costumes evoluíram muito rapidamente. Os anos 60 e 70 apresentaram mudanças radicais sob todos os pontos de vista, principalmente no relacionamento homem e mulher.

De repente uma geração que não teve informações adequadas sobre sexo, ficou meio sem saber o que fazer com as liberdades que apareceram, e permitiram que se transformassem em liberalidades. E o namoro de antigamente passou a ser considerado como piada. Um casal, mal se conhecia, já ia para o motel (naquele tempo ainda eram os "Drive-In").

Enfim... novos tempos, novos hábitos, novas maneiras de namorar... Não nos cabe querer julgar que época era melhor. Se o romantismo de priscas eras, em que um casal somente ia se conhecer intimamente quando estavam comemorando as bodas de prata, ou a praticidade dos tempos atuais, quando primeiro se conhecem intimamente para depois serem apresentados.

Penso que o romantismo deve ser preservado. Dos tempos antigos, podemos considerar

que certas atenções que eram dedicadas às mulheres, podem e devem ser reavivadas.

Penso que, apesar do modernismo, as mulheres ainda apreciam receber um beijo nas mãos, ou que os homens lhes dê passagem. Enfim... um pouco da consideração de antigamente poderia ser reavivada, não pensam? Aquelas pequenas gentilezas... como, por exemplo, mandar flores... Como acho bacana quando vejo um cidadão levando um ramo de flores em mãos para oferecer à esposa, namorada ou amante...

Bem... atualmente encontramos novo tipo de namoro... e que vem sendo uma coisa linda de ser observada... é o namoro entre casais da famosa terceira idade...
Pessoas que estavam condenadas à solidão, estão descobrindo que suas emoções ainda estão vivas... que elas estão vivas... e estão se descobrindo, e formando novos casais que, juntando as solidões, partem para uma nova e gratificante experiência.

É, sem dúvida um namoro muito especial, que junta alguma coisa de antigamente, às liberdades modernas. Enfim... estamos vivos, não?

Este tema ainda merece mais comentários... não está encerrado... Há que se falar ainda, e muito, sobre uma coisa que, apesar de meio fora de moda, não morreu... O ROMANTISMO... Creiam... ainda existem pessoas românticas...
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 11/06/2005
Código do texto: T23960
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19851 textos (1962284 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 14:07)
Marcial Salaverry