Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Compulsiva emoção humana

Compulsiva emoção humana
jbcampos

Que mundo é este de malgrada e entediada ilação?
Muitas vezes sentimos o amor infestar o coração. O bem-moral às vezes mora na senda da retidão, pois, felizmente não há regra sem exceção, porém, a mentira grassa solta a fazer esta inversão.
O banditismo parece fazer parte do santo batismo, embasado no pseudopatriotismo de pérfido egoísmo.
- Mentir, não é crime não, quando praticado diante de grande nação?
- Manobras causídicas, perjúrios fatídicos, mentiras não são? Vistos na sua televisão!
- Ah... São fundamentados na legislação.
- Excelência. Desculpe-me então.
A mentira, é filha do Diabo, assim reafirma a sempiterna religião!
- Por que o poderoso, mau político, mente deslavadamente a sexta potência, com tamanha prepotência à bela nação?
- O “Deus-brasileiro” vai deixar a criminalidade prevalecer sobre a sua criação?
No confessionário de oitivas forenses, a mentira parece que sempre vence. Embora, O crucificado e dito: Sem pecado, ali seja; O dependurado ausente. Quem O respeita, parece paradoxal, ao sequer sentir tais manobras do mal!
Empolados engravatados torcem a sorte da verdade na mais fria crueldade.
A hipocrisia enfastia, quando a falsidade mercantil se embasa na lei amoral.
O assassinato de fato acontece, e o pobre povo trabalhador, de dor padece.
Que mundo imundo é este, em que o neto mata o avô pelo vício de promíscua peste. Chega a dar dó, o craque, a erva, o pó o qual na cabeça dá o seu mefistofélico e cego nó!
Após alguns dias o criminoso está à solta para matar novos avós.
Perdeu-se a honra, e a vergonha as quais poetizava a velha, e honesta cegonha.
O sexo virou o sodomita de Gomorras aflitas, cujas mentes desditas, são pura vergonha.
A calamidade atingiu e tingiu de sangue as belas cidades de intensa maldade.
O poder desdenhou a força do mal que assola o povo o qual está a pedir esmola, enquanto, o mal amola o seu sabre, e assola, preparando-o na morte pela frígida degola.
O imposto recolhido continua encolhido, sem o menor sentido e, jamais inteiramente devolvido.
Os moribundos nas filas do SUS ficam assustados, pois, podem ser metralhados pelo sistema montado pelos vis malvados.

“O medo de viver-morto, corre solto pelos guetos escarnecidos pela lei, entorpecidos sobreviventes, afetados em seus desgastados sentidos.”

- Cadê a paz?

Que mundo é este?
jbcampos
Enviado por jbcampos em 23/11/2012
Código do texto: T4000795
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
jbcampos
São Roque - São Paulo - Brasil, 71 anos
1088 textos (36916 leituras)
44 e-livros (1582 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/06/17 03:00)
jbcampos