Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Posse, aposse-me

Ah meu amor, que foi que eu não fiz?
E que por não fazer, você nem me quis?
Fala para mim o que você quer.
Algo há de querer!
Eu faço sem medo porque sei de uma honra,
que persiste no seu peito de cavalheiro errante.
Você caminha pelas ruas da sua vida,
algumas são avenidas e outras vielas;
deixe-me ao menos uma palavra numa delas.
Eu também ando pela minha vida e tão doída!
Algumas são avenidas, outras, também são vielas.
Você olha para o mar e muitas vezes não o vê,
E quantas vezes eu vejo o mar e não o olho,
porque ele é da dimensão exata do meu lamento!
E você, somente você, sabe da exatidão que falo.
Que poderia eu tirar-lhe, já que nem uma palavra você diz?
A imensidão do seu alheamento é tão profunda,
que diante dele, o medo assenhorou-se do meu mundo.
Em algum momento, entre o tempo, esse desconhecido;
você surgiu em mim e não sei o que fazer sem você.
Eu venho de muitas épocas e conheço tantas eras;
em nenhum lugar, em tempo algum, conheci alma tão severa!
Fico aqui no silêncio de cada noite e de cada dia.
Vou ficando na estação enquanto o trem parte sem direção...
Aceno para nada, para ninguém e me guardo em profunda solidão!
E mesmo que você negue de todas as formas, por todos os meios,
os seus olhos tão nus e cintilantes, não mentirão os seus
anseios.
Rose Stteffen
Enviado por Rose Stteffen em 02/09/2007
Reeditado em 21/04/2011
Código do texto: T635844
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Rose Stteffen). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rose Stteffen
São Paulo - São Paulo - Brasil
1346 textos (177527 leituras)
15 áudios (1868 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 04:54)
Rose Stteffen