Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

             Valsa para uma Menininha...

                                                                                     (Para Natasha)

Há exatos vinte e quatro anos eu te peguei no colo pela primeira vez... Tinha eu dez anos, e, quando olhei pra você, meu coração quase saltou fora do peito... Que linda você era, parecia uma princesinha!!! Nada dessas histórias de que recém-nascido tem “cara de joelho”!! Eu jurei que iria ser a melhor tia que alguém poderia ter... Mesmo sendo apenas dez anos mais velha do que você.
Sabia que foi no meu colo que você adormeceu pela primeira vez? Foi sim, minha querida. Eu te peguei no colo, no hospital, toda enroladinha, daquele jeito que fazem para o bebê ficar bem durinho, e olhei seus olhos, azuis... De uma tonalidade que jamais vi novamente em olhos de recém-nascidos... Foi quando percebi que você nascia com uma estrela imensa, pronta pra brilhar a hora em que bem entendesse.
A primeira música que cantei para você dormir foi “Valsa para uma Menininha”... eu cantarolei tantas e tantas vezes essa música no seu ouvido que perdi as contas: “menininha do meu coração, eu só quero você a três palmos do chão... menininha não cresças mais não, fique pequenininha na minha canção... senhorinha levada, batendo palminhas, fingindo assustada com o bicho-papão”...
Mas você cresceu minha filha... É, minha filha mesmo!! Porque também fui mãe, irmã, tia, amiga... Presenciei seus primeiros passos, suas primeiras palavras, ajudava sua mãe a te fazer comer porque desde pequenina você era chatíssima pra comer... Sempre nos lembramos disso e damos muita risada, e eu gostaria que você tivesse demorado um pouco mais pra crescer, pra eu poder viver tudo novamente, até mesmo as brigas que não foram poucas e nisso sou obrigada a concordar, você puxou o meu gênio, minha menininha. Hoje, ainda olho todas as fotos que fiz de você pequenina, e noto que sua beleza aumenta a cada dia e associada à sua inteligência e perseverança, sinto muito orgulho por ver que hoje você conquistou seu espaço com muito estilo.
Confesso que me frustrei quando você deixou de gostar de MPB e passou a curtir rock...Mas pelo menos era anos 60, Beatles. Aí minha esperança aumentou quando você curtiu muito jovem, Raul Seixas... Cá entre nós que você sempre teve excelentes exemplos de gosto musical e literário... Ah!! Falhei nisso também, pois não consegui fazer você se apaixonar por literatura brasileira e você levou um século para ler Dom Casmurro de Machado de Assis... Por acaso você terminou ao menos este? Lembro que lia seus livros para ajudá-la a fazer as fichas... Esse bom exemplo você não seguiu por completo, mas lê, o que já é muito bom, ainda que não seja literatura.
Eu me lembro como se fosse hoje as vezes em que eu chegava pra você ainda menina e dizia: “vamos sair?” E você corria feliz se aprontar.
Íamos ao cinema, depois tomar sorvete ou comer lanche, isso quando eu não te levava comigo pra sair à noite. E, você sempre estava muito bem protegida comigo. E eu te protegerei enquanto precisar de mim... Porque você sempre vai ser a minha menininha da canção do Vinícius.
Você não precisou sentir medo do bicho-papão e cresceu pronta para brilhar... Hoje, no seu aniversário de vinte a quatro anos, eu só quero reafirmar o que você certamente ta enjoada de saber, mas nunca é demais repetir: eu amo muito você e estarei sempre por perto para aplaudir e acompanhar sua ascensão, sem deixar jamais de protegê-la sempre que necessário.
Não sei se consegui cumprir a minha promessa feita quando você nasceu. Não sei, sinceramente, se fui a melhor tia do mundo pra você, mas confesso que tentei, mesmo sabendo que a falibilidade inerente aos seres humanos me impediria de sê-lo, eu juro que tentei. E vou continuar tentando, porque as nossas vidas são feitas de erros e acertos, mais ainda de erros... Com eles aprendemos a avançar nessa marcha de aprendizado que é cada uma das nossas existências. Sei que apesar de tudo, meu amor é maior do que qualquer erro que eu possa cometer... E é por ele que eu jamais vou deixar de tentar.
Feliz aniversário, minha princesinha linda... eu desejo, hoje e nos próximos 364 dias do ano, até seu próximo aniversário, que você brilhe sempre e que esse brilho traga amor, sucesso, paz e muita felicidade para você...

E saiba que poderá sempre contar comigo, aconteça o que acontecer... te amo muito, minha pequena senhorinha...

Beijos da sua tia,

                                                                (24/08/2006 – 01:10 horas)

Akasha De Lioncourt
Enviado por Akasha De Lioncourt em 24/08/2006
Reeditado em 02/07/2009
Código do texto: T223860
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Akasha De Lioncourt
São Paulo - São Paulo - Brasil, 45 anos
706 textos (1034643 leituras)
72 áudios (109732 audições)
30 e-livros (56832 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:28)
Akasha De Lioncourt

Site do Escritor