Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gosto muito da vida, sinto muita disposição, sou feliz, sou saudável, tenho uma certeza quanto ao futuro, cada dia estou mais próximo de uma nova fase, incerta, polêmica, infalível, esperando ou não ela chega, penso até que normalmente surpreende, porque ninguém quer ou espera essa mudança.
Não é nada agradável pensar nesse assunto, pensando ou não chegará o dia da nossa despedida. Gostaria muito de partir não tendo qualquer compromisso pendente, com a consciência tranqüila do dever cumprido.
É estupidez achar que fiz tudo que deveria, assim como qualquer ser humano, falhei, deixei a desejar e não foi uma ou outra vez, foram inúmeras situações mal resolvidas, claro que a intenção sempre foi das melhores.
Tentei ser bom filho, irmão, amigo, esposo, pai, avô, talvez tenha ficado na média, para alguns fui bom para outros nem tanto, sempre respeitei as pessoas, nunca fazia algo para quem quer que seja se para mim não era legal.
Se minha hora fosse essa e tivesse um tempo para me expressar queria dizer que fui muito feliz, amei muitas pessoas, gostaria de ter contribuído muito mais, fui omisso, tive privilégios que me possibilitou fazer além do que fiz, fui egoísta, pensei muito em mim, só repassei sobras, não me lembro de ter passado frio, por exemplo, por ter doado um agasalho para um irmão necessitado, se eu pudesse e tivesse oportunidade para consertar minhas deficiências, queria poder ajudar mais, existem muitas pessoas carentes, não só de bens materiais, principalmente no campo espiritual, eu deveria ter doado mais do meu tempo para as pessoas que imploram pelo amor de Deus a nossa atenção.
Não tendo outra opção vou encarar essa nova realidade, quero pedir perdão a todos que magoei, não guardem ódio ou rancor, esse sentimento é muito forte e nocivo para nós. Minhas sinceras desculpas pelas dores e decepções que causei, que a sorte possa lhe recompensar e apagar essas tristes lembranças. Se esforce para lembrar de momentos felizes que teve a minha participação, não chore, não fique triste, me ajude a enfrentar esse novo desafio, tenha as melhores lembranças que puder da minha pessoa.
Gostaria que minha carcaça fosse cremada e que o pó fosse soprado pelo vento num lugar aberto e muito bonito. Ao mesmo tempo tenho uma intuição de que continuo sendo egoísta, e que pelo menos dessa vez, já que será minha última oportunidade, deveria ter um tratamento convencional, proporcionando aos micros seres um banquete e meus órgãos, meus membros, tudo que puder ser aproveitado, se possível fosse doado para transplantar em outras pessoas, me possibilitando continuar a viver por aqui, só que sem responsabilidade das atitudes, isso sem dúvida contribuiria com a quitação do meu débito.


vladis.fernan@globo.com
 

 
Vladis
Enviado por Vladis em 19/05/2006
Código do texto: T159223
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vladis
Matão - São Paulo - Brasil, 57 anos
143 textos (61743 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:51)
Vladis