Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A perda de meu irmão * MARLON *

30 de julho de 2006 – 03(três) anos de saudades.

Estou calma e serena, confio na força cósmica que
enche o universo, inclusive a mim mesma.
A luz divina da bondade, sabedoria e do amor comigo
está, não haverá sofrimento, porque a força divina
é proteção permanente.

Se alguma lagrima descer serão saudades, experiências.

Um dia um jovem rapaz, 37 anos após exaustivo de
serviço, chega ao lar com fortes dores de cabeça.
Mais tarde dá entrada ao hospital, já meio fora de si.

Aquela noite passava lentamente e agonizante,
enquanto esperávamos pelo resultado.
Exames feitos e o chocante resultado:
Meningite, portador do vírus HIV.

A família sente como se o mundo desabasse, que o
chão sumira debaixo de nossos pés.
Os dias se iam e ele na UTI, aos poucos ia perdendo
a noção do tempo, e de sua vida.

Um dia as 23:30 rs pequei o carro e fui ao hospital,
não quiseram me deixar vê-lo, insisti um anjo
apareceu deixando-me subir para UTI e vê-lo.

Abracei-o, chorei baixinho e ali orei pedindo o melhor para ele.

Por um lapso ele abriu os olhos,  para mim e disse:
- O que você está fazendo aqui?
    Senti saudades, você se lembra de mim?
- Sim ...  Ci di nha... pronunciando meu nome vagarosamente.

Beijei-lhe a testa e ele pediu:
- Pode trazer coca-cola  para mim?
  Sim, respondi.

Passaram-se 12(doze) dias, no dia 30 de julho de
2003, as 00:30 rs ele parte...
Disritmia, o coração não aquentou as doses fortes
de remédios.
Deixa para trás todos que o amavam...

Após 08(oito) meses de sua partida, sua mãe parte
também: infarto fulminante.

Eu, amiga irmã, confidente, acompanhante das
festas, danças e brincadeira.
Me sentia fraca, sem força, percebi que as pessoas
com quem a gente se importa na vida são tomadas da
gente muito depressa.

Ali comecei minha batalha para sobreviver,
mas não suportando a dor da solidão e sentindo a
falta do meu confidente, me deixei cair: Depressão.

Hoje batalho, luto, pois preciso manter-me em pé.
Sinto-me só... choro mas em cada lagrima derramada
são palavras que eu queria falar-lhe naquele momento.

Mas o dono do universo, não me desampara.
Sempre me envia um anjo do céu, para dizer que
“ELES” estão bem.

Quem é ele? Meu irmão de sangue.
A amiga confidente? Sou eu sua irmã.

Naquele ano de seu falecimento, aprendi que o que
importa não é o QUE SE TEM NA VIDA, mas QUEM NOS
TEMOS NA VIDA.

Aprendi  que devemos deixar sempre as pessoas que
amamos com palavras amorosas e um enorme abraço.

- Porque?
Porque, pode ser a ultima vez que a vemos...





(Desabafo de uma história real, por 03 anos de falecimento de irmão.)

Após a partida de meu irmão, sua esposa desviou-se de sua trajetoria, abandonando suas 03 filhas, que foram acolhidas por mim.
Um(01) se passou, ela (a mãe) retornou e as pediu de volta.
Sofri muito.
Continuo sofrendo mais ainda, porque após 03 meses, a mãe novamente entra na escuridão da vida, abandonando as crianças novamente.
Hoje vivem com a avó materna que também resolveu partir para um mundo distânte de mim.

Muita Paz e luz a você irmão e mamãe onde quer que estejam.

GRANDE PAI CELESTIAL ABENÇÕE E TOME CONTA DAS 03 FILHAS DE MEU AMADO IRMÃO QUE SÃO MINHAS TAMBÉM!


Musica:Oração da Família
Cantor: Padre Zezinho


Cida Janes
Enviado por Cida Janes em 30/07/2006
Reeditado em 08/01/2007
Código do texto: T205639
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (" HISTÓRIAS REAIS DE MINHA VIDA ". Solicito manter meu nome no final do texto. Obrigada). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cida Janes
São Bernardo do Campo - São Paulo - Brasil, 51 anos
89 textos (54378 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 16:12)
Cida Janes