Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MOISES - O PRINCIPE DO EGITO

Introdução

Este trabalho tem como objetivo identificarmos as características existentes no personagem bíblico Moisés, narrando um pouco de sua história, conhecendo sua personalidade, bem como as suas virtudes e seus defeitos. Trazendo aspectos deste enredo para o nosso dia-dia, além de relacionar o perfil de Moisés comigo.
A história de Moisés começa a ser contada na Bíblia no livro de Êxodo, quando Moisés nasceu, o Faraó Ramsés mandou seus soldados matarem todos os bebês hebreus, isto ocorreu porque profecias da época davam conta de que naquele período nasceria uma criança que libertaria os hebreus/judeus da Escravidão no Egito.
Joquebede mãe de Moisés, era da tribo de Levi, e ao saber que Ramsés havia determinado o extermínio dos meninos escondeu seu filho durante o período de três meses passado este período, jogou seu filho em um cesto de junco e o vedou com piche e betume. Puseram nele o menino e o colocaram no rio Nilo bem a margem do rio para que o cesto não fosse destruído pelas águas.
Miriã Irma de Moisés discretamente percorre o rio observando onde o cesto seria levado e eis que a margem do rio a filha de Faraó vai para o seu costumeiro banho e vendo o cesto pede que uma criada lhe tire da água. De imediato a filha do Faraó se compadece ao ver o pequenino que chorava desesperadamente, segundo a fé existente no Egito a filha considerou que ainda sendo um bebê hebreu, os deuses haviam lhe trazido como forma de benção.
Miriã vendo a atitude da filha de faraó lhe diz quer que eu chame alguma hebréia para dar de comer ao menino, prontamente a filha do faraó autoriza e ainda paga pelos préstimos, da mulher hebréia, que tratava-se da mãe biológica de Moisés.
Quando Moisés, passou da fase de amamentação foi entregue a filha de faraó para ser criado como um Egípcio...
E esta é a historia que vamos estudar, o menino hebreu, que era pra ser morto, pois sobre ele pesava a profecia de libertação do povo, oprimido do senhor, pelo faraó que não conhecia, o Deus de Abraão, O Deus de Isaac,  O Deus de Jacó.
Muitos mistérios, milagres, profecias e realidade.
Este é Moisés...


EGITO
O que te vem á mente quando falam sobre o Egito?

A mim surgem imagens de múmias, tesouros, sarcófagos conhecimentos e muito mistério, a historia de Moisés, está atrelada a este povo e para falarmos dele, vamos conhecer a sua origem e como era a sociedade naquele tempo.

1.1 CONHECENDO O EGITO

A região onde se iniciou o desenvolvimento da civilização egípcia está situada no nordeste da África, com seu antigo território cortado pelo grande rio Nilo (6.500 km e 6 cataratas), ladeando por dois desertos (deserto da Líbia e da Arabia), ao norte o mar mediterrâneo favorecia a navegação e o comércio com outros povos. A leste, o Mar Vermelho, outra via de comunicação.

A) SOCIEDADE
A sociedade egípcia era heterogênea, dos quais se destacam 3 ordens principais:
• Faraó e sua família;
• Nobreza (detentora real das terras), Escribas (burocratas) e o Clero (sacerdotes);
• Felás (camponeses, trabalham presos a terra e em obras públicas);
B) RELIGIÃO
Os egípcios não viam diferenças entre a realidade religiosa e seu convívio social: tudo para eles era uma coisa só. Ao contrário do que se acredita, o povo egípcio era POLITEÍSTAS. Deus para eles é a representação do Amor Puro, e se manifestava sobre três formas: ATUM-RÁ - Entidade estática antes de manifestar o Universo; PTAH - Característica criadora de Deus, do Universo e dos Seres; Thot - multiplicador da Natureza e de todas as coisas. Isso fica simples de entender quando pensamos, por exemplo, em uma mulher com seus filhos: ela é mãe, esposa, amiga, mulher e trabalhadora. Ela atua em todos esses aspectos, mesmo sendo apenas uma.O conhecimento advinha dos estudos realizados pelos sumo-sacerdotes. Imhotep ("O Sabio que vem em paz") ganhou grande destaque na história deste povo, sendo uma criatura multifacetada de conhecimentos que permeavam a medicina, a filosofia, a química, arquitetura, astronomia, etc. Eles aprendeream a observar a Natureza, suas mudanças, as cheias e vazantes do Rio Nilo e o comportamento dos animais.

UM HEBREU ENTRE OS EGÍPCIOS

Talvez você não entenda o peso deste título, mas imagine que o filho do presidente dos Estados unidos, está sendo criado por Osama Bin Laden, compreendeu?
A história de que Moisés era pra ter morrido, isso você já sabe de cor e salteado e que ele foi encontrado pela filha do faraó, mas o que não sabemos muito é sobre a vida de Moisés como um egípcio.
Ele teve uma criação real, foi tratado como um dos filhos de faraó, sobre ele pesava o misticismo de ter sido trazido pelas águas para benção daquele lar, o Egito prosperava e sua opressão não era enxergada pelos seus eles eram a razão e estavam certos.
Hoje por exemplo a opressão que as grandes potencias fazem nos países emergentes, de fato não é sentida pela população como inquisidora, mas como algo normal, tal como o Egito, foi com os Hebreus.
Domina quem tem poder...
Porém podemos perceber nitidamente os planos de Deus, fazia parte do plano de Deus que Moisés fosse criado como Neto do Faraó, fazendo dele herdeiro do trono do Egito, mesmo próximo de todo o poder, Moisés não demonstrava interesse em governar o Egito, Moises, ficava mesmo era intrigado com a diferença existente entre os Judeus x Egípcios, o senso de justiça dado por Deus a ele começava a fazer com que ele questionasse.
A fé dos Egípcios
Quem era mais poderoso?
• O Deus dos hebreus
• Ou os outros deuses

Nos tempos de hoje a sociedade que domina é aquela que tem as maiores reservas de dinheiro, bem como alta tecnologia, alto índice de desenvolvimento e etc..., porem naquele tempo a nação dominante era aquela cujo mão de Deus estava com ela, e quem era mais poderoso, do que o povo que serviu o “Grande eu sou”.
Daí você me perguntara?
Se os hebreus, sempre foram os mais fortes, porque sempre sofrerão perseguições, foram escravizados, andavam peregrinos sem ter por onde ir.
Pois bem, quem disse a você que acreditar em Deus, é comer doce de leite, só experimentar coisas boas, ser mais poderoso, não é estar no poder.

Quando Moisés observa a atitude injusta de um soldado egípcio ele decide por si só fazer justiça matando o e deixando livre o hebreu que sofria injurias. Existia um conflito entre o que os olhos de Moisés podiam ver como Príncipe do Egito, e aquilo que ele podia sentir em seu coração, sendo ele um hebreu. O amor dos país de Moisés pelo Deus altíssimo estendeu sobre a vida dele o temor ao Senhor, ainda que ele não cultivasse a fé no Deus de Israel, dentro do seu coração havia duvidas, incertezas que o levavam a querer conhecer mais deste Deus.
Após o assassinado ocorrido, percebendo Moisés o que fizera o mesmo decide fugir, a fim de não experimentar a ira de Faraó já que havia agido em favor dos inimigos do Egito


O FUGITIVO

 Moisés, não é o meu personagem favorito das histórias bíblicas gosto mais daqueles que se mostram firmes e corajosos, aos meus olhos Moisés sempre foi um gaguinho, medroso.
Quando ele matou o egípcio, ao invés de assumir o erro e já se posicionar a favor dos Hebreus, ele sentia confiança no fato de que ninguém presenciara o assassinato ao saber que a noticia corria, temeu e tratou de fugir para não morrer.
Não é uma atitude que se espera de quem tem a promessa de Deus sobre a sua vida, e, além disto, os hebreus também não acreditavam muito que o Egípcio Moisés, agiria em favor dos Judeus.
Moisés abandona o Egito e foge para Midiã onde conhece as filhas de Jetro que o apresentam a seu pai tornam-se amigos, e Jetro entrega a Moisés sua filha Zipora por esposa.
Tudo normal casamento: filhos, uma família, tudo parece normal, na vida dele, existia sobre a vida de Moisés a aparência de que tudo estava bem.
Isso acontece conosco muitas vezes temos um chamado, tal como tem acontecido comigo, diante das provocações da vida, seja um faraó ou um sonho não vívido, nos dispomos a andar longe dos propósitos de Deus caminhando como se nada de fato tivesse acontecido ou acontecendo, não aceitando o real chamado de Deus para nossas vidas.
Mas Deus, ao contrario de nós é imutável e conhece nossas fraquezas e age no tempo certo.
Quando Moisés já era um idoso, ele anda pelos montes e eis que ele vê um arbusto queimando ou como diz na bíblia, A sarça ardendo, e o fogo não consumia, aquela vegetação, indo observar o ocorrido, Deus começa a falar explicando a ele sobre os planos que tinha para ele, dando ciência a Moises de que ele era o escolhido para libertar o povo de Deus.
Moisés, reluta ao saber de toda a história levantando diversos empecilhos para obedecer a vontade do mestre:


 Questiona a Deus sobre o que dizer ao povo, quem estava o enviando?
Sobre de onde advêm a autoridade de Moisés para guiar um povo?
 Sobre o fato dele não falar bem (como eu disse um gaguinho medroso, rs).
Mas Deus lhe mostra seu plano perfeito á maneira como deveria se portar diante dos hebreus e dos egípcios, as palavras que devia usar os passos que deveriam seguir e lhe dando a segurança de que não estava só, neste período Moisés tinha 80 anos.
Moisés saiu do Egito já com 40 anos de idade, durante 40 anos, Moisés presenciou, todo o sofrimento dos Judeus, e ficou calado, fugiu e ficou mais 40 anos, em silêncio, protegendo a integridade do seu povo e principalmente a sua vida, como eu disse um medroso.
Eu falo assim de Moisés, mas claro que tendo respeito pelo que ele representa para o nosso povo, um homem comum, real, com uma vida comum, sem as pompas que se imagina existir para um Príncipe do Egito, mas dava pra confiar um pouco mais em Deus?
Ai é que me pego pensando sobre as formas de Deus agir...
Na verdade Deus é Deus como ele mesmo diz, Eu sou, ele simplesmente é, não precisa de argumentos e explicações, como o Deus de Abraão, Isaque e Jacó é assim ele usa quem ele quer como ele quer, não importa. Se Deus quer usar ele usa.
E não importa como você é o tamanho da sua fé, a complexidade existente entre o seu querer e a vontade expressa de Deus, quando Deus fala, não há argumentos, as coisas acontecem.

 MINHA COVARDIA
“A ação mais comum e humana é a fuga, afinal ela traz a falsa esperança de que tudo será esquecido, mas nossa mente sempre traz a tona o que ficou por ser definido em nossa vida, não há como fugir, do peso da decisão”.
(Leslie Amorim)

Desde que fiquei grávida, houve um conflito duvidas que me cercaram, o pecado, me trouxe medo, vazio e satanás me acusava do fato de eu ter desonrado a promessa que eu fizera de não ter o mesmo destino que minha mãe teve e isso, me entristeceu eu passei pelo processo doloroso de me inferiorizar diante dos demais, ainda que eu tivesse pecado eu não conseguia pedir perdão e aceitar a redenção que há no sangue de Cristo pela dureza do meu coração, o pecado cega, foi então que dia após dia, mesmo freqüentando a casa de Deus, eu me enfraqueci dia após, dia, e quando a acusação começou a partir de dentro da igreja, foi ai que eu fugi, assim como Moisés, eu também fui covarde, não disse a Satanás que se apartasse de mim, ao contrario dei ouvidos, e deixei cair no laço daquele que anda ao derredor.

4 A MISSÃO

Deus envia o irmão de Moises Arão para ser o seu porta-voz devido o problema de Moisés, em falar, e eis que eles chegam no Egito para levarem a palavra do Senhor a Moisés e a palavra é única:
“Deixa sair meu povo para prestar culto ao Deus de Israel”
Mas como era de se esperar o Faraó não se curvou diante da vontade de Deus e não reconheceu a soberania daquelas palavras. Foi então que Moisés seguiu de acordo com o que Deus já havia dito que aconteceria e operou o primeiro milagre.
Arão lançou seu bastão no chão e ele virou uma serpente. Os magos do Faraó fizeram o mesmo. Seus bastões viraram serpentes, mas a serpente de Arão engoliu as deles.
A incredulidade do Faraó no poder de Deus era tamanha havia dureza no coração e certa cegueira em não reconhecer de fato o que o altíssimo Deus estava realizando.
Quando Deus fala com Moisés, ele sabe que o Faraó, não aceitará os argumentos de Moisés, na libertação do povo, e instrui Moisés em todo o processo, se você não conhece a palavra de Deus com certeza você dirá?
Se Deus sabia que Faraó seria homem de uma palavra, incrédulo, porque não o exterminou ao invés de deixá-lo passar por todos os males. Bem se você pensa assim você não conhece o Deus que nunca desiste de você.
Neste caso em questão, as 10 pragas vieram de Deus, como prova do seu poder, já o endurecimento do coração do Faraó foi permissão de Deus, as vezes a vontade de Deus está claro em nossos olhos, o mover de Deus para nos atrair com amor, mas nossos corações permanecem contritos e endurecidos, pela auto-afirmação de que não precisamos de um Deus.
O inimigo que anda ao derredor através da fé cultivada pelo Faraó já estava com ele, nele e não permitiu que o Faraó enxergasse que o Deus que há em Israel, é o que é, o que era e o que há de vir, que não há nada maior do que o Deus de Abraão, Isaac e Jacó.
Pois bem, entendeu, Deus não desiste de você, ele como o autor e doador da vida, não se importa se você é de um povo ou de outro, ele quer ser seu Deus.



E de dez formas ele tentou quebrantar o coração do Faraó, isto me faz lembrar uma linda canção que diz:
No Egito escravo fui, sim, sim, oh, sim!
No Egito escravo fui, do vil Faraó
Triste, bem triste estava
Meu coração chorava
Liberta - me Senhor
Moisés, foi ao Faraó , sim, sim, oh, sim!
Moisés, foi ao Faraó e lhe disse assim.
Deixa sair meu povo para prestar de culto assim diz o Senhor
Faraó se endureceu, sim, sim,oh, sim!
Faraó se endureceu e não deixou ir
Deus enviou 10 pragas
Desembainhou sua espada e assim nos libertou
Livre agora então estou, sim, sim, oh, sim!
Livre agora então estou, livre para ti
Quero prestar te culto
Quero cantar te glória a ti Senhor...

3.2 AS DEZ PRAGAS

A) SANGUE
Como Deus havia ordenado Moisés, Arão como seu porta-voz toma a vara e poe nas águas do Egito e tudo o que há nela morre e eis que as águas ficam impróprias para beber.  Semelhantemente os magos do Faraó também operam o mesmo milagre.

B) PRAGA DAS RÃS

Da mesma forma como converteu o rio em sangue, Arão estende a vara sobre o mar e eis que toda a terra do Egito é tomada por rãs e elas invadem todos os lugares exceto onde estava os Hebreus.
 
Ainda sim Faraó permaneceu com a decisão de não libertar Israel.

C) PRAGA DOS PIOLHOS

Um piolho já causa um grande incomodo imagine milhares, e constantes, por todos os lados não há como não entender que Deus estava irado com o Egito, e dava a eles o tratamento de morte, banhando seus rios com sangue, trazendo por todos os lados o cheiro da morte, e pra quem conhece um pouco sobre defuntos, os piolhos, são companhia constante deles e ainda sim, o Faraó do Egito, a Estrela do Egito, com gostam de citar não usou de sua sabedoria, para ver a condenação do Egito como nação.

D) PRAGA DAS MOSCAS
Tal como Sangue, tal como as rãs, surge o forte enxame de moscar por todo o Egito, permanecendo a proteção de Deus sobre o seus povo, mas com tudo nenhuma dessas manifestações moveu o coração de Deus.

E) MORTE DOS ANIMAIS

O Egito fedia a morte, o mar estava morto, havia carniça de rãs, as moscas, aterrorizaram a cidade, e para cumprir a ira de Deus, sobre aqueles que oprimiam o seu povo, Deus enviou a quarta praga que trouxe morte aos animais egípcios, imagine o odor existente.

Ainda sim, Faraó não deixou o povo ir.

F) PRAGA DOS FURUNCULOS

Já que Faraó não reconhecia o poder de Deus, sobre todas as coisas, que tal atingir ao povo diretamente e a ele também, e eis que dó pó da terra Deus manda a quinta praga que trás, há todos feridas terríveis.

Claro que Faraó, baseando sua fé, nas ilusões criadas por seus magos, manteve seu posicionamento se recusando a libertar o povo.

G) CHUVA DE GRANIZO

Esta praga enviada por Deus é bem conhecida em São Paulo, não na mesma intensidade, mas está fica mais fácil de entendermos, imagine uma chuva devastadora e constante, destruindo tudo, é o que relata a palavra de Deus, tudo foi destruído, a ira de Deus se manifestou de tal forma que Faraó pensou em reconsiderar a sua decisão, mas depois de Moisés pedir a Deus que parasse a chuva, Faraó se endureceu novamente.

Neste momento, aparece em letreiros fosforescente, que Faraó Burro, o homem vai enxerga que existe uma força maior agindo em favor do povo de Israel, acredita existir um Deus em Israel, quando esta tudo de acordo ele volta atrás.

Jogar pedra nos outros é fácil, difícil é se ver face a face se refletindo no Faraó, quando Deus opera em nossa vida muda , transforma nos livrando das garras de Satanás e nos simplesmente esquecemos de tudo e voltamos para nossa vida medíocre.

H) GAFANHOS

Semelhantemente o Egito foi devastado pelos gafanhotos que consumiram tudo o que a chuva não destruiu e Faraó se esqueceu do que provará com as outras pragas, se acostumou a viver, os períodos breves de descanso da ira de Deus.

O ser humano ele se acostuma com o que é ruim, a viver de migalhas, quando de fato vive o que satanás oferece, a morte.

Não sabem o que é felicidade, graça, vida, abundância, como requeres paz, quando a mente vive em constante guerra.

E permaneceu Faraó cego, a mão de Deus, que pesava sobre o Egito.

Quando está praga é enviada Deus fala a Moisés que o endurecimento do coração de Faraó e a ira de Deus sobre o Egito seria lembrada de geração a geração dando ciência aos povos de que Deus zombou dos Egípcios.

Os feitos de Deus sobre o Egito fizeram os conselheiros do Faraó tremerem diante de tanto poder, e eis que o povo e os conselheiros do Egito passaram a ter estima por Moisés e suas profecias.

• RECONHECIMENTO

Este relato acima sobre o povo e os conselheiros do Egito respeitando o povo de Deus, pelos grandes feitos apresentados, e algo experimentado por nós, a partir, do momento que Deus começa agir na vida dos seus filhos, a glória dele fica evidente sendo inegável os fatos onde constatamos que aqueles que assumem que são filhos de Deus, que o reconhecem como o Senhor, obtêm um selo de diferencial, entre os demais. A promessa que Deus fez no velho testamento, na época da lei permanece em nós, como diz a musica do Renascer Praise: “O senhor conhece os que são seus”.

I) TREVAS

Por fim, Deus trouxe o desespero, a dor de caminhar na escuridão, Ele que é a luz do caminho permitiu que o vale da morte se estabelecesse no Egito, trazendo pavor ao povo.

A escuridão era tanta, que era possível tocar a densa escuridão que se estenderá por todo o Egito, ainda assim o Rei do Egito permaneceu inerte as provas deliberadas por Deus para libertação do seu povo.

Não deixando o povo ir.

• LADO A LADO COM O FARAÓ

Sabe aquela frase que sua mãe te disse quando pequeno, que com Deus não se brinca, Deus é o Deus da verdade com ele não há meio termo, é Sim, sim, não, não, quente ou frio, é assim que ele é.
Sua verdade é eterna e reina sobre todas as coisas, e foi assim que para finalizar a série de milagres para convencer Faraó, e todo o povo provando o poder do grande “Eu sou”.

È que ele instituiu a Páscoa, o dia do Senhor!

Você consegue perceber que Deus  amava também os egípcios?

Talvez você me diga, estranho jeito de amar!

Mas só quando se ama é que damos chances de escolhas, quando não a amor, isto de fato não ocorre, o que fazer? Quando um filho não te houve? Quando você tenta demonstrar com amor a razão de lhe fazer um pedido?
Orienta não faça isso, não ande com tal pessoa e etc...
E seu filho prefere agir acreditando no que ele considera no seu coração como correto.

Quem passou pela provação sabe que aprendemos com a dor, e que ela nos ensina, se damos lugar ao que Deus tem para nos falar. Entender o amor de Deus, aos meus olhos é o principio da fé genuína, ele mesmo nos diz: Pois que com amor eterno te amei, também com benignidade te atraí (Jeremias 31:3).

Tente olhar o velho testamento, não com a severidade de um Juiz inquisidor, mas como um Justo Juiz, que dá ao povo o direito de escolher e que lhe aplica a justiça conforme a escolha dos seus atos.

O que os cientistas falam sobre a lei de ação e reação, Deus já nos falava sobre o fato de toda ação ter uma conseqüência, e o salário do pecado é a morte.

E foi o que ocorreu com o Egito, houve justiça e ele recebeu com reação, ou como conseqüência, a morte.

Como veremos a seguir.

• PÁSCOA

Antes de falar da destruição do Egito, vamos falar sobre a Páscoa, você como eu ao ouvir esse nome já deve ter pensado:

- Chocolate;
- Ovos de Páscoa;
- Bacalhoada;
- E todas as guloseimas;

Agora voltando para o nosso estudo, o povo de Deus estava sofrendo a escravidão no Egito, já há mais de 400 anos, imagine uma nação sofrer humilhações por todo este tempo, e muitos permaneceram acreditando que existe Deus em Israel.

E Deus envia Moisés para libertar o povo, instituído a páscoa como dia do Senhor para ser lembrado que Deus libertou seu povo.

Está é a páscoa judaica, onde eles celebram a libertação de Deus da escravidão.

Então celebramos de forma incorreta a Páscoa?
Mais ou menos...

Pelos ensinamentos católicos existentes em nosso país, frisamos incessantemente o martírio da crucificação, mas vamos parar para refletir sobre o proceder de Deus.

A palavra de Deus, não muda!

Ele não contradiz o que há no velho testamento, e as suas profecias se cumprem, assim Deus procede com a sua palavra.

Quem é Jesus?

O cordeiro de Deus...
E o que ele veio fazer?
Nos libertar ;

A Páscoa que ocorre na libertação dos Judeus é a mesma que ocorre no Novo Testamento, JESUS vem para libertar o seu povo, que estava escravizado pelo pecado, e está páscoa se estendeu a nós. A páscoa vivenciada pelos Judeus, é algo muito particular daquele povo que é de fato nação escolhida do Senhor.

Mas tal como eles podemos celebrar a páscoa, sem anular o sacrifício de Cristo, mas sabendo que ele veio para nos livrar do mal.

11. MORTE DOS PRIMOGENITOS

A ultima praga que foi enviada ao Egito, é a parte do filme da Disney, mas interessantes eu acho, ops...

Voltemos palavra de Deus!

Deus instrui a Moisés como agira na Páscoa, dizendo que o anjo da morte passaria pelo Egito à meia noite e o primogênito de cada família morreria. Os israelitas deviam aspergir o sangue do cordeiro nas umbrais das suas portas, assim o anjo da morte passaria por cima eles. Isso foi feito e tudo aconteceu segundo a Palavra de Deus.

Houve dor e gritos no Egito, mas com isto o Faraó prostrou-se e disse a Moisés para levar o povo para fora do Egito, e pedir a Deus que o abençoasse.

DE CARA COM INIMIGO

Se você tem uma experiência com Cristo com certeza sabe que nos momentos de dor, satanás te acusa, e te põe pra baixo, e nos momentos em que existe o pesar da mão de Deus, também ocorre as injurias disseminada por satanás, através de provocações, creio eu que ao reconhecer que existe um Deus em Israel, mas forte e mais poderoso de qualquer outra manifestação. Faraó provoca a ira de satanás que derrama o sobre ele o fel da vingança.

Imagine a cabeça deste líder que pela dureza do seu coração, pôs a potência Egípcia em crise, devido á devastação que as pragas realizaram, provocou dúvidas no meio do seu povo e por fim deixou que a frieza de suas decisões afetassem, a sua família, e o seu povo de forma cruel com o advento da morte.

Como ele deveria agir...
Considerar o erro e permitir que o povo partisse enfim para exaltar o Deus de Abraão, Isaac e Jacó, sendo considerado pelos outros como um líder fraco, que reconheceu os erros, que aceitou a derrota.

Ou lutar até o fim...

Se você é humano assim como eu, independente do lado certo e errado, considere se na posição do Faraó, o que você escolheria? Os vossos princípios estão voltados para a certeza de sua fé politeístas, no conhecimento das letras, da medicina, você é inteligente e sábio, você deixaria um povo mal agradecido que provocou a ira de Deus, que você se quer conhece ir embora?
De imediato, tenho a resposta na ponta da língua
Preparem a guarda, vamos provar a esses Judeus, o poder que há no Egito, Eu sou o Faraó.

LIBERTAÇÃO DO POVO

Com a libertação ofertada pelo Faraó, ao povo de Israel, Moisés tornou–se, grande aos olhos de Israel, porém logo após a sua decisão o Faraó mudou de idéia e saiu para procurá-los. O povo então se manifestou contra Moisés e o acusou de por suas vidas e a vida dos seus filhos em risco.

Vamos fazer uso do Jargão dito pela Bispa Sônia:

- Não fale para Deus o tamanho do seu problema, mas fale para o seu problema o tamanho do seu Deus.

Hoje com tantos exemplos bíblicos, com tanta histórias vivenciadas de milagres e vitórias e como uma jurisprudência, nos dá certeza de causa ganha, mas imaginando a situação que existia no Egito.

O povo era escravo, mas tinha, casa, comida, vestimenta, o básico para sobreviver, eles não conseguiam acreditar no que poderia ser feito a mais por ele. Tá vendo como dizia chacrinha na vida nada se cria tudo se copia, olha de onde vem á bolsa família, de onde os romanos, tiraram o tal famoso pão e circo, estamos acostumados a viver recebendo as migalhas.

Etâ povo que reclama, somos como eles quando temos oportunidade de mudarmos muitos de nós desistimos, com medo do que temos a frente, ficamos inertes olhando para trás.

E foi o que o povo fez de olho no faraó e a guarda que se aproximava, Deus pediu a Moisés que conduzisse o povo por um caminho que era bem mais longo a ser percorrido e que daria de frente para o mar.

Deus prova mais uma vez a sua grandeza, dando aos egípcios à noite e aos judeus o dia, para que eles não se encontrassem, confundido-os durante o percurso. De frente com o grande mar vermelho, houve novamente um chororó danado, e reclama daqui reclama dali.
Haja paciência pra agüentar um povo que é mal agradecido, desculpe, voltando ao texto.

Moisés vai ao encontro do Senhor, clamando a ele que lhe dê a solução, aos olhos humanos só um milagre poderia livrar o povo, porém é preciso que os olhos acreditem no poder que a em Deus, nesta relação estreita que Moisés construiu com Deus respeitando suas características, fez com que o medo que existia em Moisés tornasse um temor que lhe trouxe enfim a sabedoria.

Após a aceitação do senhorio de Deus na vida de Moisés ele começa a recorrer sempre ao Pai para tomar qualquer atitude.

E eis que o Senhor lhe diz para estender a vara sobre as águas, e águas
Do mar abriram e transformaram em uma grande parede e o povo de Deus passou em terra seca.

Ao longe foi possível avistar a aproximação dos egípcios...

É de pirar imaginando essa cena, você consegue imagina o mar se dividindo, não houve seca da água, o texto é claro dizendo que o mar se dividiu e que formou uma parede.

Tá conseguindo visualizar a cena, tenho certeza que muitos amigos diriam....

Vixi, Muito loko....

Eu ficaria sem palavras e foi assim que o povo passou pelo mar vermelho.

GRAN FINALE

A de se convir que toda boa história é digna de um final estrondoso e eis que a historia de Moisés começa a mudar enfim o rumo da história do povo judeu, vamos recapitular...

• O faraó é avisado por seus conselheiros, a despeito da profecia, que nasceria um menino entre os judeus que libertaria o povo.
• Faraó determina as parteiras que mate todos os meninos hebreus;
• Deus toca o coração destas mulheres que não conseguem fazer tamanha brutalidade.
• Deus as abençoa e as livra do castigo que caíra sobre o Egito.
• Faraó, pede a toda população que lance todos os meninos ao mar.
• Uma mulher chamada Joquebede, esconde o seu filho, e este fica com ela até os 3 meses depois deste período sem poder esconde-lo, Joquebede o lança ao mar dentro de um cesto
• O cesto é encontrado pela filha do Faraó e está se compadece do bebê e Midiã irmã do bebe que observava o cesto pela margem do rio, pergunta a filha de Faraó se a mesma não deseja que uma hebréia o amamente, e eis que Joquebede, mãe biológica tem a oportunidade de criar Moisés como ama de leite, até que o mesmo deixe a amamentação, de volta ao palácio, Moisés, é criado como neto do Faraó, recebendo a honra de ser tratado como Principe do Egito.
• Moisés, faz parte de uma cultura que domina as artes, letras, filosofia, medicina, os egípcios estavam a frente do seu tempo, eram dotados de vasto conhecimento e sabedoria. Podemos dizer que Moisés teve uma criação de primeira.
• A justiça de Deus estava sobre Moisés e ao ver os escravos massacrando seu povo, ele comete um assassinato.
• Moisés foge temendo a represaria existente por parte dos egípcios
• Constitui Família
• Passam os anos e Deus lhe fala sobre a missão pela qual foi escolhido
• A libertação do povo.


Antes de lhes falar sobre o fim daquele reinado quero compartilhar o que de fato aprendi com Moisés, e os mistérios de Deus.


• A BOA, PERFEITA E AGRADÁVEL VONTADE DE DEUS


Quando você faz uma leitura de qualquer texto você pode simplesmente correr as linhas, as letras escritas, ler entender o que está escrito, mas para você entender a mensagem é preciso, parar e entender o que o escritor quer lhe dizer, converse com a sua leitura.

Leslie Amorim

De volta ao contexto de nossa história

Imagine um judeu qualquer chegando com 80 anos de idade na porta do palácio, e dizendo quero falar com o Faraó, deixe me falar com ele o Deus de Abraão, Isaac e Jacó, pede para que eu fale com ele.

Se eu fosse o Faraó diria, de o que comer a este pobre velho que deve estar louco, quem se atreve a falar com o Faraó, é um ultraje. Pois bem como você que não lê se quer a palavra de Deus pode discursar perante os Ateus, os Espiritas e outros que já leram a bíblia bem mais do que você?

- Imagine se Moisés, tivesse sido criado pelo hebreus em comparação com os Egípcios, seria comparara a conversa de um acadêmico doutor, contra um estudante de ensino fundamental.

Era preciso apresso entre o locutor e o interlocutor deste enredo, o faraó conhecia Moisés ele fazia parte do mesmo clã existente no Egito, você pode até não gostar, mas não é de bom tom deixar de receber os entes queridos.

Pois bem este é o primeiro ponto de Moisés ter sido salvo, resgatado das águas, a vida dele tinha um porque de existir.



Tal como a minha a sua, se Deus permitiu que vivêssemos, nossa vida tem um porque de existir. E o que me deixa não é confusa a palavra, mas a percepção existente nas escolhas, Deus sabe quem ele escolhe, é claro ele é Deus, é difícil pra mim, mas pra Deus é moleza, ele sabe de todas as coisas, o meu pensar, o meu falar, o meu sentir e o meu agir.

Ai vem a loucura....

Um monte de gente cheio de fé, e tal Deus vai e me escolhe um homem que vivia na orla do faraó, que vivia conforme os egípcios, que fugiu de medo, não era um guerreiro corajoso, gago e demonstrava grande pavor em enfrentar o seu passado.

Ai vem á sabedoria...

Deus escolhe as coisas loucas para confundir as sábias, o trabalhar de Deus é aperfeiçoar as nossas fraquezas para que tenhamos a confiança de que em Deus somos fortes, somos renovados, novas criaturas e tudo se faz novo.

O medo que existia em Moisés se dissipou a partir do momento que ele entendeu quem estava com ele. Não é preciso temer Deus está conosco.

Sobre o fato dele ir contra os seus, aqueles a quem ele considerava de sua família é um desafio que todos nós enfrentamos quando optamos por viver uma vida reta aos olhos do Senhor, buscando a santificação, a mudança de vida real e sincera que é produzida em nós quando conhecemos a Cristo.

Quantas vezes fugimos dos nossos problemas, deixamos as nossas angústias guardadas, mas ao passo que estabelecemos um relacionamento verdadeiro com Deus entendemos que tudo precisa ser curado e sarado. Não há como fugir, da presença de Deus, que opera em nós a obra completa.

Deus estava libertando o povo, e curando Moisés.

A despeito da limitação existente na oratória do nosso personagem, Deus mais uma vez demonstrando seu amor infinito, da a Moisés o auxilio de um ótimo orador o seu irmão Araão, para suprir sua fraqueza, mas um ponto que devemos observar Deus supre e aperfeiçoa nossas fraquezas.

Está é a minha reflexão a respeito da escolha de Moisés por Deus

Vamos tecer o paralelo existente em Moisés de seus defeitos e qualidades:
Existe uma evidência clara de que Moisés tinha uma personalidade bem diferente da que assumiu como líder do povo Hebreu.

Moisés era um homem, acomodado com a vida do palácio, fazia vista grossa a atrocidade feita pelos soldados egípcios aos hebreus, além disto, por ser da família real, não é narrado nenhum grande feito a seu respeito enquanto se portava como um egípcio, mas a vida de Moisés da um giro de 360, modificando o caráter de Moisés de homem, insensível , fraco, sem sonhos, para um homem temente a Deus, sábio, forte e corajoso, e pasmem tudo isso quando ele tinha 80 anos.

Quer lição mais linda do que essa...

Se você permitir Deus trabalha você mesmo você estando com a idade um tanto avançada, pra Deus e em Deus isso não existe, esses limites, não existem. Deus usa quem ele que usar.

JULGAMENTO

Os egípcios perseguiram os judeus, e os seguiam por dentro do mar, Deus agiu em favor dos judeus causando grande confusão entre os egípcios, fez com que as rodas dos carros soltassem houve grande confusão, e os egípcios temeram e pretendiam fugir, mas o Senhor disse a Moisés estenda a mão sobre o mar e as águas engoliram tanto os egípcios quanto sua cavalaria, carros e tudo o que estava com eles.
Naquele dia ninguém sobreviveu o senhor dizimara os inimigos e libertou o seu povo, porque Moisés temeu ao Senhor e se encheu de confiança para cumprir o seu chamado.
 Semelhantemente ao desejo de faraó de dar ao mar os filhos das hebréias para que morressem nas águas do Nilo, assim fez o Senhor provando sua grandeza e com apenas um toque dizimou todos.
E está história foi contata de geração a geração, sobre o domínio de Deus sobre ás águas, quem nunca viu um quadro do Mar Vermelho, ou um filme.
O momento mais grandioso desta cena não foi o Senhor ter feito uma parede de água, mas a vitória que deu a seu povo. Deus dá a seu povo a chance de renascer da escravidão para liberdade, é sempre assim, foi com eles, é conosco e será com nossos filhos, Deus quer nos libertar do pecado.
Quando tudo parecia o fim, o temor a Deus lhes traz a chance do recomeço, folhas novas para descrever uma nova história.

• Adoração

Cânticos uma expressão de adoração, uma oferta suave, um regozijo, uma manifestação sincera de alegria pelos feitos do Senhor, o cântico de Moisés enaltece as características experimentas por ele em contato com o grande Eu sou, o modo como ele age, como a mão de Deus libertará seu povo, a restauração da esperança.

Festa com muita música, alegria, danças marcam a transição do povo Judeu rumo a terra que mana leite e mel.

MOISÉS -Transformação
PEREGRINOS
O povo continuou a peregrinação e só pra variar três dias depois da vitória, o povo começou a reclamar mais uma vez, eles caminhavam á algum tempo e com a sede apertando se questionavam se era bom essa caminhada deixando para traz o que haviam conquistado no Egito. Em Mara onde estavam á água era amarga demais sendo imprópria para o consumo. Moisés ouvindo a reclamação do povo vai a Deus que lhe diz: a respeito da obediência e confiança em Deus, o que ele requer dos seus filhos e transforma a água para que ela sirva para beber.
A caminhada prossegue....
Um Mês e meio depois peregrinando no deserto de Sim, próximo ao Monte Sinai, o povo começa a queixar-se pela falta de comida, o povo começa a praguejar dizendo “Quem dera tivéssemos morrido no Egito, que indelicadeza, o povo é liberto, tá com Deus lado a lado e encontra tempo pra reclamar, essa realidade não está tão longe do que vivemos no dia – dia,
Acordamos – um milagre
Tomamos banho- Graças a Deus
Escovamos o dente – Graças a Deus
Tomamos nosso café da manhã – Graças a Deus
Ai saímos atrasada de casa, perdemos o ônibus e eis que declaramos....
Que inferno de vida....
Nos esquecemos tão fácil tanto dos milagres, quando das coisas diárias, mas Deus está sempre conosco, nesse período é que Deus envia o Maná dos Céus, ou seja Deus manda pão do céu e codornizes para os hebreus se fartarem. O maná foi uma mensagem diária que Deus enviará, nos primeiros cinco dias não deveriam armazená-lo, porque se fizessem isso apodrecia, cheirando mal e enchendo de bichos, porém no sexto dia, deviam colher o dobro para guardarem para o sábado e está porção não apodrecerá. E eis que com toda a fidelidade de Deus para com o povos, eles ainda se diziam sozinhos, no deserto e que Moisés havia os levado para a morte.
Talvez a sua expressão ao ler seja a mesma que a minha de revolta pela ingratidão deste povo, reclamam e não sabem agradecer as bênçãos recebidas, e são cegos espiritualmente, novamente com sede começam a reclamar sobre a falta de água e querem apedrejar Moisés, com fortes argumentos para isso.
E eis que Deus faz dá rocha sair água para beber e acalma mais uma vez o povo.

PROTESTO!!!!
Argh, só Deus pra agüentar esse povo mal agradecido, aff!
De fato Deus demonstrou grande amor e compaixão por este povo, quem de nós seria capaz de atender um pedido, um chamado, qualquer que seja  feito por alguém que não acredita em você, maltrata os que estão próximos a você, e ainda faz ameaças.
Você ajudaria?


OPS!!!
Já estava saindo do foco deste estudo que é entender sobre Moisés de forma simples, e real, vamos voltar ao foco principal, vejamos, Moisés, passará pelo processo de transformação que se iniciou no momento em que ele fugiu e foi para o deserto onde tornou-se pastor de ovelhas. Você consegue imaginar um pastor de ovelhas, nervoso?
Eu não.
Pois bem esse período de exílio foi importante para Moises se conhecer não o fato dele ser de um povo ou de outro, mas ele se atentar sobre suas características, suas percepções, e este foi o longo período que ele passou, longe da “realidade” 40 anos, nisto me vejo refletida, sobre a importância de saber quem você é?
O que eu sou no reino de Deus?
Porque Deus me separou?
Só que o meu período de exílio, foi na verdade a busca de experiências fora da vontade de Deus, eu simplesmente virei as costas, não queria responder pelos meus atos, tão pouco me submeter à vontade de Deus, enfim.
 

BATALHAS ....
Depois de terem passado pelo mar, as reclamações, os milagres surge enfim os Amalequitas para guerrear contra o povo, eis que surge um novo personagem a esta história, “Josué”, nome forte, poderoso, homem de guerra devo afirmar que este homem terá uma jornada fantástica, mas voltando o foco em Moisés ele pede que Josué monte um grupo de homens para guerrear e garante a sua tropa que o senhor estaria com eles e daria a vitoria.
A batalha ocorreu e judeus foram vitoriosos e ganharam de Deus a promessa de pesar a mão sobre os amalequitas, pra todo o sempre.
Deste enredo mais do que o ponto de vista estratégico da batalha e a vitória que já havia sido garantida vale olharmos a fundo e percebemos que de fato, nos temos que passar pela luta, a luta no ensina, Deus nos garanti a vitória, mas passar pela tribulação é um ato que devemos passar, confiantes e crendo em Deus.
Para quem vive com base em estar em Deus é ter vida mansa, talvez estranhe o modo como é apresentado as batalhas , no nosso tempo não guerreamos com armamentos salvos os que estão em combate, mas nós pacatos cidadão, temos batalhas diárias e nisto não podemos esquecer que Deus sempre está conosco, que seremos vitoriosos sim, em tudo o que nos dispormos a fazer e isso não tem haver com prosperidade, tem haver com fé, com o fundamento existente em crer, em confiar, na atitude de se esperar a solução em Deus.
Eu creio, mas é tão difícil Senhor, Moisés teve que ficar durante toda a batalha dando Glória a Deus, durante a batalha e você e eu como nos comportaríamos.

Melhor não responder....

FAMÍLIA

Recapitulando Moisés era casado e desde que recebeu a sua missão não viu mais a sua esposa,  o sogro de Moisés o encontra e leva sua família para enfim acompanha-lo nesta jornada, o coração de Moisés se enche de alegria, e ele celebram a grandeza da obra executada por Deus através de Moisés, a atitude do Senhor em superar os egípcios naquilo que se vangloriavam e enfim celebram com alegria os feitos do Senhor.

PONTOS PRINCIPAIS A SEREM OBSERVADOS:
• NÃO EXISTE DEUS COMO HÁ EM ISRAEL

Em toda a exposição desta narrativa a um ponto principal da história a demonstração sobre a grandeza que a na “pessoa” de Deus, o fazendo “INCOMPARÁVEL”.

• AGIR DE DEUS

O processo de entender o que Deus faz, é admitir a inexistência do impossível.
Quando estamos em Deus esta palavra não tem definição para nós.


CONSELHO
As mentiras que se tornam jargão e são dissipadas na massa como verdade

Se o titulo do capítulo em que Moises recebe a visita do sogro fosse, conselho de sogro, qual seria sua primeira reação:
- Lá vem bomba
- Sogro não é parente
- Se conselho fosse bom, agente vendia
Tudo bem existem conselho que efetivamente não são de fato algo para aceitar e tudo mais, porém vamos ouvir o que Jetro solicita a Moisés, a visita de seu sogro além de enaltece a grandiosidade, os feitos maravilhosos de Deus trouxe algo muito especial e de difícil aplicação, até os dias de hoje.
Jetro é um personagem que a principio me causou dúvida, como pode um homem sem conhecer um estranho vai e entrega uma de suas filhas, loucura, mas ele demonstrou ser um home observador, desde a chegada de Moisés a suas terras ele enxergou potencial naquele homem,  quando ele chega no arraial do judeus em torno dele para deliberar sobre todos os assuntos , ele age do mesmo modo observa e diz por que você não escolhem homens de Deus de sua confiança para terem uma liderança compartilhada de forma participativa trata-se do modo como trabalhos nas empresa hoje em dia.
 
A percepção de Jetro foi de que Moisés estava sobrecarregado, e que ele deveria compartilhar a sua liderança para obter mais sucesso.
A palavra de Deus informa que Moisés analisou o conselho e decidiu segui-lo, está é a diferença existente entre o que fazemos com o conselho, ele deve ser recebido, porém não se trata de uma ordenança, deve ser analisado.

EU & MOISÉS

Estou cada vez mais impressionada ao perceber, o quanto sou “egoísta”, quem nunca quis fazer um solo, uma apresentação exclusiva, ser o centro das atenções, não querer demonstrar que Deus te escolheu ir á frente como ungido. Quem nunca se vangloriou?
Minha dificuldade principal é compartilhar as responsabilidades que tomo para mim, o fato de assumirmos um compromisso não faz de nós mais capacitados do que os outros colaboradores, traçando o parâmetro entre Moisés a percepção de liderança citada por Jetro, minha atitude também seria de aceitar mais creio eu que pedira para Jetro traçar os prós e contras existentes.

INTIMIDADE

Após três meses da libertação eles chegam ao monte Sinai, quando Moisés sobe ao monte, Deus lhe fala o que dizer ao povo:
“Se o povo permanecer na fé, seguindo-o, confiando e acreditando na aliança existente entre Deus e este povo, ele os escolheria como povo santo, tesouro pessoal de Deus.
• Podemos ter inveja Santa?
• Inveja branca como dizem na novela?
Eu sei que não, mas vou te falar povo sortudo, é melhor que ganhar na mega sena.
No monte Sinai, ocorre um dos enredos mais conhecidos da palavra de Deus a entrega dos 10 mandamentos, a atitude do Senhor ao descer ao monte e se fazer “ver” por todo o povo parte do princípio de confirmar aquela nação que Deus falava com o seu povo através de Moisés, e que além disso era preciso santificar-se para adentrar a sua presença, neste caso até o sexo foi proibido, as roupas tiveram que ser santificadas.
Nos dias de hoje, da forma que nos achegamos a Deus com certeza se tivéssemos naquela época já teríamos sido fulminados, além disto, a entrega dos mandamentos, ocorre após a deliberação do povo em responder a proposta feita por Deus a respeito de sua aliança com Israel ,“o povo escolhido”, mais uma vez o Senhor demonstra o seu caráter imutável de respeitar o que ele mesmo criou “ o livre arbítrio”.
Tem como não admirar a sabedoria e a perspicácia do meu Deus?




Leslie Amorim
Enviado por Leslie Amorim em 19/05/2010
Reeditado em 01/07/2011
Código do texto: T2267070

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce deve citar a autoria de Leslie Amorim). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Leslie Amorim
São Paulo - São Paulo - Brasil, 30 anos
188 textos (22339 leituras)
1 áudios (11 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/10/14 03:37)
Leslie Amorim



Rádio Poética