Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

JULGAS SER ALGUMA COISA?

"PORQUE, SE ALGUÉM JULGA SER ALGUMA COISA, NÃO SENDO
NADA, A SI MESMO SE ENGANA".(Gal.6:3)
-----------------------------------------------------------

Como já antes(Gal.6.1), fundamenta também,neste caso, o
serviço a ser prestado ao próximo com um olhar sobre o próprio
"eu". Devemos carregar o fardo uns dos outros, porque cada um
de nós não é nada. O que somos recebemos. E o que temos por
nós mesmos, de forma alguma, é decisivo para DEUS. Querer
gabar-se de seu estado cristão ou da sua perfeição, querer
inclusive, medir-se com outros, seria um engano fatal.
Embora o apóstolo Paulo pudesse ser posto na categoria dos
maiores apóstolos, contudo, à parte de CRISTO ele reconhecia
nada ser. "TENHO-ME TORNADO INSENSATO; A ISTO ME
CONSTRANGESTES, EU DEVIA TER SIDO LOUVADO POR
VÓS;PORQUANTO EM NADA FUI INFERIOR A ESSES TAIS
APÓSTOLOS, AINDA QUE NADA SOU". (2 Co. 12:11)
Todas as almas humanas são dotadas de um valor infinito.
"QUE APROVEITA AO HOMEM GANHAR O MUNDO INTEIRO
E PERDER A SUA ALMA? QUE DARIA UM HOMEM EM
TROCA DE SUA ALMA?"(Marcos, 8:36-37)
Assim sendo, o apóstolo Paulo não pode estar falando neste
ponto, sobre a nulidade absoluta do ser humano. O fato de que
o homem é digno de ser remido labora contra  tal possibilidade.
Mas o homem, por si mesmo, à parte de DEUS, de seu desígnio
na criação, de seu algo na redenção, nada é. Porém, em
conexão com o desígnio e com o alvo divinos o homem é uma
criatura de valor extraordinário. Dessa espécie de valor,
entretanto, Paulo não estava falando aqui. Contudo, pensar
alguém que é algo, "quele algo em que ele mesmo se fez, e no
que se escuda o seu orgulho" não sendo ele coisa alguma(por
si mesmo e à parte do desígnio e do alvo divinos) é enganar-se
a si mesmo. Ora, o autolidíbrio nada vale, tal como o homem
nada vale por si mesmo. Se alguém multiplicar zero por zero, o
resultado continuará sendo zero. Isso é o que Paulo queria dizer.
A correta atitude e a ação espiritual, em contraste com a nulidade
humana, têm as seguintes caractarísticas:
1 - Consideramos os outros melhores do que nós mesmos.
"NADA FAÇAIS POR PARTIDARISMO OU VANGLÓRIA, MAS
POR HUMILDADE, CONSIDERANDO CADA UM OU OUTROS
SUPERIORES A SI MESMO" (Fil. 2:32).
2 - Rejeitamos os pensamentos contaminados de orgulho
pessoal, condescendendo com aqueles de posição inferior à
nossa.
"TENDE O MESMO SENTIMENTO UNS PARA COM OS
OUTROS; EM LUGAR DE SERDESS ORGULHOSOS,
CONDESCENDEI COM O QUE É HUMILDE; NÃO SEJAIS
SÁBIOS AOS VOSSOS PRÓPRIOS OLHOS"(Rm. 12:16)
3 - Se qualquer vanglória tiver de haver, essa deve ser por
causa do Senhor, e não por nossa prória causa ou por causa de
outro ser humano.
"PARA QUE, COMO ESTÁ ESCRITO:AQUELE QUE SE
GLORIA, GLORIE-SE NO SENHOR". (1 Co. 1:31).
4 - Evitamos dar um valor exagerado a nós mesmos.
"PORQUE,PELA GRAÇA QUE ME FOI DADA, DIGO A CADA
UM DENTRE VÓS QUE NÃO PENSE DE SI MESMO ALÉM DO
QUE CONVÉM; ANTES, PENSE COM MODERAÇÃO,
SEGUNDO A MEDIDA DA FÉ QUE DEUS REPARTIU A CADA
UM". (Rm. 12:3).
5 - Evitamos a arrogância própria, devido às nossas realizações
e habilidades.
"NO QUE SE REFERE ÀS COISAS SACRIFICADAS A ÍDOLOS,
RECONHECEMOS QUE TODOS SOMOS SENHORES DO
SABER.O SABER ENSOBERBECE, MAS O AMOR EDIFICA.
SE ALGUÉM JULGA SABER ALGUMA COISA, COM EFEITO,
NÃO APRENDEU AINDA COMO CONVÉM SABER".
(1 Co.8:1-2)
6 - O amor de DEUS garante que estimamos acertadamente a
nós mesmos.
"MAS, SE ALGUÉM AMA A DEUS, ESSE É CONHECIDO POR
ELE" . ( 1 Co. 8:3).
Aqueles que procuram dominar a seus semelhantes, que procuram
degradá-los, usualmente mostram-se indulgentes para consigo
mesmos, julgando-se a si mesmos com um padrão suave,
mas aos outros com severidade. Tal tipo de indivíduo jamais
ajudará a um irmão ou procurará restaurá-lo. Pelo contrário,
regozijar-se-à ante o contraste feito entre ele mesmo e o outro,
que caiu em falta, e desejará que esse contraste permaneça.
Tal homem nunca pensará em comparar-se com
JESUS CRISTO, mediante o que ficaria demonstrado ser ele a
pior e mais vil criatura que existe. Pelo contrário, se alegrará em
fazer comparações entre si mesmo e aqueles que são menos
moralmente controlados do que ele. Sua falta de simpatia e o
excessivo orgulho,que o levam a pensar que é alguém sem
falha, são pecados bem piores do que aqueles cometidos pelos
cristãos caídos. O orgulho envolve dois grandes pecados:
a) Não atribui a DEUS a glória que lhe é devida.
b) É um agente natural enganador, que leva o homem a
valorizar-se falsamente; portanto, é prejudicial ao progresso da
alma. O engano aqui aludido é o autolidíbrio. Porém, grande
número de enganadores consegue fazer com que outras
pessoas os julguem importantes,conforme certamente foi o caso
dos falsos mestres que havia nas igrejas cristãs da Galácia.
Não há pessoas mais inclinadas para censurar aos outros e mais
descaridosas do que certas pessoas religiosas que pretendem
possuir mais luz e mais profunda comunhão com DEUS.
Geralmente se deixam arrastar por uma fraseologia sublime
e altissonantes, que parece transparecer uma familiaridade
admiravelmente profunda com as realidades divinas, despidos
disso, muitos deles se assemelham a Sansão sem a sua
cabeleira.
"E DEUS ESCOLHEU AS COISAS HUMILDES DO MUNDO,
E AS DESPREZADAS, E AQUELAS QUE NÃO SÃO,PARA
REDUZIR A NADA AS QUE SÃO; A FIM DE QUE NINGUÉM
SE VANGLORIE NA PRESENÇA DE DEUS. MAS VÓS SOIS
DELE, EM CRISTO JESUS, O QUAL SE NOS TORNOU,
DA PARTE DE DEUS, SABEDORIA, E JUSTIÇA, E
SANTIFICAÇÃO, E REDENÇÃO, PARA QUE, COMO ESTÁ
ESCRITO; AQUELE SE SE GLORIA, GLORIE-SE NO
SENHOR". (1 Co. 1:28-31).











Wil
Enviado por Wil em 15/11/2006
Código do texto: T291863
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wil
São Paulo - São Paulo - Brasil, 81 anos
2613 textos (84514 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:55)
Wil