Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ESTREITO ACESSO ÀS MANSÕES CELESTIAIS


“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem” (Mt.7:13,14).

A caminho de Jerusalém, Jesus percorria cidades e vilas pregando e ensinando. Sempre solícito respondia a todos que se aproximava d’Ele com alguma dúvida. No sermão conhecido como o Sermão da Montanha ilustra acerca sobre dois acessos e duas portas. Um conduz ao céu e o outro a um profundo abismo. O senhor começa dizendo que o acesso para a salvação é através de uma porta estreita e é necessário muito esforço para ultrapassá-la. Esforço?!?! Sim, esforço. Mas a salvação não é pela graça? Porque tenho que me esforçar? Não é somente ter fé em Jesus para ser salvo? Em que tenho que me esforçar?
Olhando mais atentamente para o versículo base deste texto percebemos que muitas pessoas tentarão passar pela porta estreita, mas não conseguirão. Porque não conseguirão o seu intento? Em primeiro lugar, a porta é muito estreita, sendo assim a dificuldade é maior. Em segundo lugar, é necessário resolução e muitos desistirão, pois, mesmo estando no caminho certo e diante da porta certa, diante da multidão que está lutando para ultrapassá-la, muitos, sem forças, abandonarão seu alvo.
Se há uma aglomeração diante da porta estreita é porque algo os atraiu. O Senhor Jesus Cristo afirmou em JO 12:32, que, quando Ele fosse levantado, na cruz do Calvário, atrairia todos para Ele mesmo. E, de fato, quem não é atraído por Jesus? Quem não é atraído pelo gozo celestial? Todos querem ir para o céu. Se não fosse assim ninguém perderia tempo em se esforçar diante de uma porta estreita sem que nada o esperasse do outro lado. Entretanto, não deveria ser a porta larga e o caminho espaçoso passagem para o céu? O Senhor Jesus afirmou que o acesso ao interior da porta que conduz ao descanso eterno é o estreito. Ele sabe o que diz. Compete a nós lutar para ultrapassarmos o caminho indicado por Ele.
Na verdade o caminho estreito funciona como um desafio para os indecisos e desanimados porque, quando estes se aproximam da porta e vendo uma grande multidão diante dela se esforçando para ultrapassá-la, desistirão facilmente, frustrados e derrotados. Mas é assim mesmo que muitos se posicionam diante da pessoa do Senhor Jesus Cristo. Tem consciência que Ele é o Salvador, que morreu pelos nossos pecados e que não há outro caminho seguro para os céus a não ser através de Jesus  Cristo, porém, acham muito difícil seguir o evangelho, pois, há a necessidade de renunciar muitas coisas que, na verdade, lhes são prazerosas e, não desejando se esforçar para renunciá-las, apesar de chegarem à porta da salvação, desistem. Somente os de ânimo forte, os destemidos, os corajosos perseveram, com muito esforço, para ultrapassar a porta estreita da salvação. Os tímidos desistem facilmente. Sim, passar pela porta estreita requer muito esforço, no sentido de que, se alguém  se decidir passar por ela lhe é imposto um rompimento com tudo que fica do lado de fora. É a coragem e o esforço da renúncia.
Outro fator importante é que esta porta está aberta por tempo limitado. O Pai de família é quem vai cerrar a porta. Quando a porta for fechada o desespero irá tomar conta de quem ficou do lado de fora e a autoridade do Pai de família será reconhecida: “Senhor, Senhor!” Quando a porta se encontrava aberta não havia este reconhecimento. Lembramos a história de Noé, enquanto ele fazia a arca por ordem de Deus, só ouvia zombarias, mas, quando o dilúvio caiu e o próprio Deus cerrou a arca, houve um grande desespero, mas, era tarde.
Observamos também que o Pai de família só se levanta para fechar a porta. Enquanto ela se encontra aberta os corajosos e destemidos se esforçam para ultrapassá-la. Quão grande será a frustração daqueles que, ficando do lado de fora, ouvir do Pai de família: “Não vos conheço...” Ouvir palavras tão duras como estas diante de uma porta fechada, sabendo e que o Pai de família é o próprio Deus, não é de fácil compreensão. Que o Senhor tenha misericórdia desta humanidade que caminha a passos largos, pelo caminho largo, se aproximando da porta larga, para mergulhar num abismo profundo. A grande frustração de quem volta atrás diante da porta estreita é de se enganarem dizendo que conhecem a Deus. Quando o Pai de família, diante da porta estreita, diz que não conhece aqueles que estão do lado de fora, estes argumentam que O conhecem, dizendo: “Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas?” (Mt. 7: 22). Contudo Ele lhes diz: “Não vos conheço...” Uma aproximação superficial de Deus não é garantia de salvação.
Deus é Espírito e requer dos seus adoradores, adoração em espírito e verdade. O Pai de família não viu determinação nos que ficaram de lado de fora da porta estreita. Os papéis agora se inverteram, antes era o Senhor Jesus Cristo quem batia à porta do coração do homem, porém, esta permanece fechada: “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo” (Apoc 3:20), agora vemos os homens batendo à porta dos céus e esta está fechada.
Entretanto, este é um evento futuro, a porta de acesso aos céus permanece aberta e Deus aguarda os corajosos se esforçarem para ultrapassá-la. Após ultrapassarem terão a liberdade de entrarem e saírem da presença de Deus, pois o Senhor Jesus é a nossa porta de entrada às mansões celestiais: “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará e sairá, e achará pastagens"
Paulo Cezar Santos
Enviado por Paulo Cezar Santos em 06/11/2007
Código do texto: T725632

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Cezar Santos
Aracaju - Sergipe - Brasil, 60 anos
109 textos (13681 leituras)
2 e-livros (70 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 10:58)
Paulo Cezar Santos