Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ATIRE A PRIMEIRA PEDRA (Prosa e versos)

Texto extraido do livro "HISTÓRIAS DA BÍBLIA EM PROSA E VERSOS"
                           ainda não editado

JESUS NÃO VEIO PARA CONDENAR:- Jesus foi para o monte das Oliveiras. Ao amanhecer, ele voltou ao Templo e todo o povo ia ao seu encontro. Então Jesus sentou-se e começou a ensinar. Chegaram os doutores da Lei e os fariseus trazendo uma mulher que tinha sido pega cometendo adultério. Eles colocaram a mulher no meio e disseram a Jesus:  — Mestre, essa mulher foi pega em flagrante adultério.
A Lei de Moisés manda que mulheres desse tipo devem ser apedrejadas. E tu, o que dizes?
     Eles diziam isso para pôr Jesus à prova e ter um motivo para acusá-lo.
     Então Jesus inclinou-se e com o dedo começou a escrever no chão.
     Os doutores da Lei e os fariseus continuaram Insistindo na pergunta.
     Então Jesus se levantou e disse: — Quem de vocês que não tiver pecado, atire nela a primeira pedra. E inclinando novamente a cabeça, Jesus continuou a escrever no chão.
     Ouvindo isso eles foram se retirando um a um começando pelos mais velhos. Jesus ficou sozinho. A mulher continuava ali no meio. Jesus então se levantou e perguntou: — Mulher, onde estão os ou-tros? Ninguém condenou você? Ela então respondeu: — Ninguém, Senhor.
     Então Jesus disse: — Eu também não a condeno. Pode ir e não peque mais.
                             Jo 8,1-11

                         ATIRE A PRIMEIRA PEDRA

                       Logo pela manhã
                       Ao Templo, Jesus chegou.
                       Ele estava pregando
                       Quando um murmúrio escutou.
                       Parou com a pregação
                       E para o lado olhou.

                      A  cena que presenciou
                      Muito o entristeceu.
                      Uma mulher maltratada
                      Na frente dos olhos seus,
                      Trazida pelos escribas,
                      Também pelos fariseus.

                      Estavam eles nervosos.
                      A Jesus foram falando:
                      Trouxemos esta mulher.
                      Ela estava adulterando.
                      O que devemos fazer?
                      (Foram eles perguntando)
 
                      A Lei de Moisés é clara!
                      O Senhor deve saber:
                      Manda apedrejar a mulher
                      Que esse crime cometer.
                      Diga-nos então agora
                      O que devemos fazer?

                      Jesus abaixou-se ao chão
                      Com o dedo foi escrevendo...
                      Pensativo, escutando...
                      O que estavam dizendo.

                      De repente, levantou –se
                      E viu a pobre, humilhada
                      Pelos homens que queriam
                      Que ela fosse apedrejada.

                      Olhando nos olhos deles
                      Jesus Cristo lhes falou:
                      -“Se dentre vocês existe
                      Alguém que nunca errou
                      Que atire a primeira pedra
                      Nesta mulher que pecou”.
                      Abaixando-se de novo
                      A escrever continuou.

                     Jesus levantou os olhos
                     E mais ninguém percebeu,
                     A não ser a pecadora
                     Que ali permaneceu.
                     Perguntou sobre os homens.
                     Ela então respondeu.

                     Foram embora, Senhor,
                     Nenhum deles quis ficar.
                     Jesus disse então: Mulher
                     Ninguém quis lhe condenar?
                     Eu também não a condeno.
                     Pois não vim para julgar.
                     Siga em paz o seu caminho,
                     Nunca mais volte a pecar

            VERSOS:- Antônio OLiveira  (Paraibuna  SP)


Antônio Oliveira
Enviado por Antônio Oliveira em 21/11/2007
Reeditado em 25/11/2007
Código do texto: T746588
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antônio Oliveira
São Paulo - São Paulo - Brasil, 72 anos
702 textos (560665 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 22:51)
Antônio Oliveira