Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 

Oração Meditativa

 

Maria, mãe de Jesus.

 

Alguns historiadores e teólogos “dizem” que Maria era uma jovem quando foi eleita para casar-se com José e que José era viúvo, provavelmente tinha idade acima dos 60 anos e 8 filhos do seu primeiro casamento. Maria foi criada em ambiente altamente religioso e acostumada aos trâmites dos templos judaicos.

Assim sendo, quando o Anjo Gabriel, surgiu para Maria e lhe fez a Anunciação do Senhor, ela estava consciente de que ali começava a viver uma grande e majestosa “experiência de Deus”. E entregou-se de corpo e alma ao Pai em quem depositou total e absoluta confiança.

José era carpinteiro e este tipo de trabalho, naquele tempo, muito valorizado e estes profissionais requisitados para desempenharem as suas atividades em diversos lugares. Ainda mais quando tratava-se de verdadeiro artesão. José tinha uma equipe de trabalhadores sob o seu comando e, assim, passava dias e, as vezes, até meses fora da sua cidade, pois Nazaré era bem pequena e sem grandes recursos.

Agora, imagine você, há dois mil anos atrás, uma aldeia bem pequena, talvez com menos de dez mil habitantes, onde tudo era distante e difícil, onde as pessoas se conheciam muito bem, onde todos tomavam conta da vida de todos, onde a presença do clero judaico era marcante e a severidade da Lei religiosa altamente opressora.

Imagine você a sabedoria e a coragem desta jovem. Primeiro, em entender a mensagem que o Anjo Gabriel lhe trazia. Segundo, em aceitá-la, sabendo os riscos que passaria a correr daquele momento em diante. Terceiro, em confiar a Deus todos os passos de sua vida:

- “Senhor, que se faça em mim a Vossa vontade”.

Maria não duvidou um segundo sequer das palavras do anjo e demonstrando que estava consciente dos fatos apenas perguntou:

- “mas como se dará isto, pois eu não conheço homem”?

E a explicação do anjo lhe foi suficiente como esclarecimento. Maria iria ficar grávida do Senhor para gerar o filho de Deus.

Uma jovem. Uma simples menina preparava-se para enfrentar todas as vicissitudes da vida dentro de uma sociedade que, certamente, iria massacrá-la quando os fatos surgissem. Mais ainda, em uma sociedade onde fatos desta natureza não eram admitidos. As conseqüências eram trágicas.

E quanto a José? Quando ele tomou conhecimento de tudo isto, como será que ele reagiu? O que será que ele sentiu? Ficou decepcionado? Sentiu-se traído? Ficou com raiva? Sendo um homem maduro, o que será que se passou em sua cabeça? Segundo as Escrituras, José manteve todo o assunto em segredo. Mas, tomou a decisão de abandonar Maria fugindo da cidade para não ser obrigado a expô-la junto a comunidade. Ele estava disposto a assumir tudo como se ele fosse o único responsável. Apesar do grande problema, José preocupou-se em proteger Maria.

                       Você faria isto?

 

José, então, recebeu a visita do Anjo da Anunciação que explicou tudo para ele. O Anjo lhe disse:

- “José, não temas receber Maria como sua esposa, o que foi gerado nela provém do Espírito Santo, e ela dará a luz um filho a quem porás o nome de Jesus, pois é ele que salvará o seu povo dos pecados”.

A partir de então José começa a viver a grande e majestosa “experiência de Deus”. No dia seguinte a mensagem do Anjo, José levou Maria para sua casa, tomou-a como esposa, mas respeitou todo o período de gravidez dela, pois ele sabia, muito bem, o tesouro que ela trazia dentro de si.

Mesmo assim, é importante refletir sobre os grandes desafios vividos por Maria neste período. Além da gravidez e das condições em que esta surgiu, Maria era ainda muito jovem para se tornar mãe dos oito filhos de José, do seu primeiro casamento (como “dizem” os historiadores), alguns deles, inclusive, mais velhos que Maria. Entre eles, Thiago o menor que nesta época tinha apenas 3 anos de idade. Esta a razão porque muitos ficam confusos ao lerem sobre os “irmãos” de Jesus na Bíblia, não seriam os outros filhos de José do seu primeiro casamento, como “dizem”?

Mas, como será que Maria saiu-se no desempenho desta nova atividade de mãe adotiva? E ao mesmo tempo sabendo-se gravida de um filho tão importante para o futuro da humanidade? Jovem ainda, como será que ela reagiu a tudo isto? Como terá sido as suas relações com os demais filhos e filhas de José? Com José e sua equipe sempre fora da cidade e Maria tendo que assumir o papel de chefe da família, como ela terá se saído? Como terá sido tudo isto?

Por outro lado, ainda temos a viagem de Maria a casa de sua prima Isabel que estava gravida de João Batista, o último profeta antes da chegada de Jesus. Como Maria conseguiu conciliar tudo isto? Qual a razão de Maria visitar Isabel por tanto tempo? Qual a importância de Isabel e Salomão na vida de Maria?

 

Leia: Matheus 1, 18 – 25 e Lucas 1, 26 – 38

 

Meditando:

  • O que esta história significa para você?

  • O que você tira de positivo desta história para a sua vida espiritual?

  • O que significa Maria na sua vida?

  • O que significa José na sua vida?

  • Se Jesus retornar agora, você seria capaz de reconhecê-lo?

 

Leandro Cunha
Enviado por Leandro Cunha em 19/09/2007
Reeditado em 13/05/2014
Código do texto: T659453
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Leandro Cunha - www.leandrojcunha@yahoo.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Leandro Cunha
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 68 anos
596 textos (107829 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 13:07)
Leandro Cunha

Site do Escritor