CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

A INGRATIDÃO

Certa vez me pediram uma reflexão sobre a ingratidão. Tema complexo e muito presente no nosso cotidiano.

Começo com um pensamento: “O pior dos defeitos é a ingratidão, que despreza e apedreja hoje, quem o beneficiou ontem” (Torres Pastorino).

Pois é, infelizmente existe a dor. Dor física, emocional... e a dor doída da ingratidão! Sentimento nefasto que desvaloriza nosso sentimento de viver, apunhala nosso convívio humano, que deixa sangrando a ferida até esgotar a última gota. Como dói a ingratidão! A ingratidão existe porque existe a devoção. Devotamos nossa amizade, carinho, afeição, atenção... e somos traídos em nome da falsidade. Que ingratidão! Esse sentimento que fere nossos sentimentos deixa na boca o gosto amargo do desprezo, da dor doída, da ferida aberta, do sangue derramado... como dói a ingratidão!

Aceitar a ingratidão é coisa ainda difícil, entendê-la é distante para quem sofre com essa dor que machuca. Ela, como um charco de lodo e de lama que invade a candura e simplicidade de uma amizade devotada, de um carinho oferecido, de um amor consagrado a alguém que, por traição, mancha com a podridão um coração e uma alma, abrigo da ternura. A ingratidão é um ponto de fraqueza no caráter de alguém a quem se quer bem, porque a ingratidão só dói quando vem de alguém a quem fizemos o bem ou queremos bem. Quanta dor nos causa a ingratidão.

É isso.
Deus nos abençoe.
Toninho Miguel
Enviado por Toninho Miguel em 13/07/2008
Código do texto: T1078693
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Toninho Miguel
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
58 textos (12630 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/08/14 08:59)